[Resenha] O Jogo do Coringa

3 de maio de 2019

Título: O Jogo do Coringa (Warcross #2)
Autor: Marie Lu
Editora: Fantástica Rocco
Páginas: 304
Ano: 2019
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora
Sinopse: O que fazer quando a mais popular tecnologia de realidade virtual está interferindo diretamente no cérebro dos usuários? Em O jogo do coringa, sequência de Warcross, a hacker adolescente Emika Chen precisa decidir se vale a pena o risco de aceitar a proposta do misterioso Zero e enfrentar Hideo Tanaka, o bilionário dono da Henka Games. O poderoso Hideo, além de idolatrado por crianças, jovens e adultos, conquistou o coração de Emika, que terminou o romance ao descobrir que ele era o criador do programa que acabou com o livre-arbítrio de boa parte da população mundial.
A oito dias da cerimônia de encerramento do campeonato mundial de Warcross, jogo de realidade virtual que encanta multidões, Emika Chen caminha pelas ruas de Tóquio com a sensação de estar sendo observada. Ela vai se encontrar com os integrantes do Phoenix Riders, seus antigos companheiros de time, para falar sobre o perigo da nova versão das lentes NeuroLink, que permitem ao usuário criar mundos virtuais indistinguíveis da realidade. Desenvolvido por Hideo Tanaka, criador do Warcross, o equipamento tem um algoritmo que controla os usuários e já chegou a 98% dos habitantes do planeta. Emika e seus amigos estão entre as poucas pessoas que podem fazer a situação voltar ao normal, mas precisam ser rápidos – as versões do NeuroLink usadas por eles serão atualizadas durante o evento que marca o fim da competição.
Mas a perspectiva de ter o cérebro controlado por Hideo não é o único problema de Emika: ela é alvo do misterioso Zero, que diz querer deter o dono da Henka Games e fará de tudo para a jovem trabalhar com ele. Desconfiada, a hacker hesita, mas aceita a proposta quando descobre que sua cabeça está a prêmio entre os caçadores de recompensas e é salva por Jax, uma assassina profissional enviada por Zero. Mesmo se comprometendo a colaborar com a destruição de Hideo, Emika tem esperança de convencer o bilionário a desativar o algoritmo sem precisar recorrer à violência.
Paralelamente, Emika investiga Zero e descobre que ele, na verdade, é Sasuke, o irmão mais novo de Hideo que desapareceu quando os dois eram crianças. Enquanto Hideo sempre falou com carinho e saudade do caçula, cujo desaparecimento a família nunca superou, Zero é frio em relação ao irmão e parece não sentir falta dele e dos pais. O que terá provocado tamanha indiferença? Com a ajuda dos Phoenix Riders, a hacker está disposta a desvendar o mistério, mas ao correr atrás dessa história ela pode colocar em perigo a própria vida, a de Hideo e a de seus amigos. Acompanhe a trama eletrizante escrita por Marie Lu, que surpreende os leitores até a última página.
Não contém spoiler do volume anterior
Leia a resenha do primeiro volume: Warcross 
Resenha
No primeiro volume nós conhecemos um lado da história e vemos Hideo nos contar os seus planos para o NeuroLink, agora acompanhamos a outra versão, o que realmente motiva Zero a querer prejudicar Hideo? São duas mentes brilhantes que têm poder suficiente para controlar o mundo, eles estão em lados opostos nessa guerra e resta a Emika Chen descobrir em qual deles confiar e, assim, interromper uma catástrofe.

Quando Emika foi contratada por Hideo para entrar no Campeonato Mundial de Wacross e perseguir secretamente um hacker que estava fazendo alterações no algoritmo ela não sabia que as coisas se complicariam tanto, Emika foi até a Dark World atrás de pistas sobre Zero e as coisas que viu não foram nada satisfatórias, mas isso até ela se deparar com algo ainda pior e ter a maior de todas as traições.
Emika é interceptada por Zero que lhe apresenta outros fatos e lhe faz uma proposta, Zero expõe sua versão e conta a Emika alguns segredos, ainda sem saber se pode ou não confiar nele Emika aceita e passa a receber a proteção dos Blackcoats. A jovem hacker está sendo caçada no submundo de Warcross e assassinos saem de todas as partes para capturá-la, mas sob a proteção de Zero ninguém lhe fará nada.
“- Nós acreditamos que poder demais nas mãos de uma única entidade sempre é coisa perigosa. Então, lutamos contra isso sempre e onde podemos. Nós temos patronos ricos que apoiam nossa causa.”
Emika está dividida, é necessário encontrar com Hideo e conversar com ele, mas é exatamente o que Zero quer que ela faça, ele orienta Emika a trair a confiança de Hideo e conseguir acesso ao Neurolink para poder instalar um hack no algoritmo capaz de destruir tudo. Ela não poderia fazer isso, poderia?  Há tanta coisa em jogo, tanto a pensar, ela não pode tomar uma decisão como essa sozinha e pede ajuda aos seus amigos da Phoenix Riders.
A equipe se une para ajudar Emika, ela quer conversar mais uma vez com Hideo para decidir o que fazer e ver de qual lado vai se posicionar. Ambos apresentam suas versões da história, mas Emika precisa descobrir qual delas é a verdadeira. Para isso, ela terá de investigar mais sobre o passado da família de Hideo, sobre o desaparecimento de seu irmão (anos atrás, esse triste acontecimento foi o responsável por Hideo criar o NeuroLink) e sobre Zero, qualquer informações que consiga pode ajudar a desvendar o mistério que eles escondem.

Emika está mexendo com o perigo, há muito mais em jogo do que ela pode imaginar e quem quer que esteja por trás disso não quer mais interferências. Quando tudo começa a fazer sentido ela entende a atrocidade do que aconteceu, foi terrível, foi desumano... e continua sendo. Pessoas estão sendo manipuladas para que o verdadeiro plano se cumpra e Emika precisa impedir isso a todo custo, ainda que a sua vida esteja em risco.
Minha impressão
Quando terminei o primeiro volume eu fiquei muito ansiosa para ler este e todas as minhas expectativas foram superadas, o que Marie Lu construiu é algo genial demais, enquanto estamos lendo nós conseguimos visualizar cada detalhe de Warcross como se estivéssemos dentro do livro, embora seja uma ficção é tudo tão real e convidativo. Quem ainda não leu a duologia eu recomendo que leia e se apaixone, são obras viciantes.

O foco do primeiro livro foi acompanhar Emika na sua busca por Zero e descobrir quais eram os seus planos, após uma reviravolta de deixar qualquer um surpreso estamos nesse volume acompanhando a versão de Zero. Podemos entender o que aconteceu com ele, mas isso é revelado aos poucos e durante toda a leitura a autora consegue esconder muito bem esse segredo, ela solta algumas pistas, mas a verdade mesmo é inimaginável! Quem já leu Warcross sabe quem é Zero, em O Jogo do Coringa percebemos que não sabíamos nada.

Eu esperava outro final, mas fiquei satisfeita com o rumo que a autora deu à trama, acho que fechou a história de uma maneira condizente e não sobraram pontas soltas.

Zero é um personagem que me provocou diversas sensações, no começo eu não queria confiar nele, depois algumas situações acontecem que parecem desarmá-lo e eu me questionava se ele seria de confiança; por outro lado temos o Hideo com seus ideais em conflito com os de Zero e eu querendo meu crush de volta, mas também indecisa se valeria a pena ou não. E Ekima fica em uma posição bem complicada, ela precisa fazer alguma coisa, esses dois têm planos que podem afetar todo o mundo e ela tem que escolher um lado.

Enfim, já falei demais e se deixar eu continuo falando aqui por horas! Leiam Warcross e O Jogo do Coringa, vocês não vão se arrepender, depois não esqueçam de vir me contar o que acharam, vou adorar conversar sobre esses livros. 

Minha nota para o livro

9 comentários:

  1. Olá Bea!
    Já tinha visto suas considerações no IG e adorado. Fiquei louca pra saber quem é Zero e todas as reviravoltas nessa duologia.
    Tive uma experiência com a escrita da autora e amei a escrita, acredito que esse livro é ainda mais viciante.
    Já está na lista de leituras. Já sei com quem surtar quando fizer minha leitura ahahaha

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Oi Bea!
    Tenho acompanhado suas resenhas sobre essa série, e parece que cada vez está mais empolgante como um jogo de gato e rato com mentes brilhantes. Estou curiosa em saber mais sobre os personagens e dessa nova aventura. Parabéns pela resenha, estou em expectativa para começar a ler, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Adoro a escrita da autora e estou muito empolgada para ler esses livros. Que bom saber que esse volume fecha bem a história. Fiquei ainda mais animada para ler. Acho as capas muito lindas!
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Ficção científica não é um gênero que eu tenha costume de ler, mas tenho bastante curiosidade, e essa é uma duologia que eu realmente tenho vontade de ler. Adorei tua resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Olá, vi resenhas sobre o primeiro livro, e sigo curiosa para ler este também, espero ter a oportunidade em breve!

    ResponderExcluir
  6. '' eu quero meu crush de volta'' me representa, quando li warcross eu fiquei no chão com o final e na verdade ainda to kkkkk, e preciso muito ler essa continuação porque eu amei o primeiro e já quero saber a versão de zero e como hideo se desenvolveu nesse.

    ResponderExcluir
  7. Oiii bea

    Eu gostei de saber que tudo o que eu acho eu acho que ja sei sobre o Zero na verdade não é nada nesse segundo volume, fiquei mega ansiosa agora pra conferir esse desfecho de dualogia. Eu lembro que do primeiro, amei quase tudo, desde a ambientação até a protagonista, só o romance que achei sem sal nenhum. Bom saber que nesse segundo a autora se supere e consegue manter o bom nível da história criada.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li o primeiro e uma amiga convenceu-me que devo me jogar nesta obra, fico feliz em saber que atingiu suas expectativas e que a escrita se mantém formidável.

    ResponderExcluir