7 de julho de 2016

[Resenha] A Escolha de Eron

Título: A Escolha de Eron
Autor: Ademilson Chaves
Editora: Selo Jovem
Páginas: 264
Ano: 2015
Skoob: Adicione



Leia a resenha para saber mais sobre trama instigante que nos apresenta Eron, um pai que precisou fazer a pior escolha de sua vida, decidir qual de suas filhas seria sequestrada.
Eron e a esposa não tinham um bom relacionamento, foram anos de casamento mal-sucedido e, por mais que ele tentasse se aproximar de Sara, ela sempre lhe pareceu distante. Mas as coisas pioraram quando ele ficou desempregado e precisou mudar com a família para outra cidade, onde um amigo lhe ofereceu emprego e com um salário vantajoso.

O amigo de infância havia se tornado prefeito e era um homem poderoso e influente no meio político. Eron e o amigo, Diogo Avelar, cresceram juntos mas tiveram uma desavença quando cresceram e o motivo da briga foi a Sara. Diogo mudou-se algum tempo depois e, desde então, Eron não tinha mais notícias dele mas sempre desconfiou dos sentimento do amigo em relação à sua esposa.
Já na nova cidade, Eron reencontrou o seu amigo e sentiu algo diferente nele, mas para ver a felicidade de sua esposa, seguiu com o combinado. No entanto, acidentalmente, ele escutou uma conversa de Diogo com outro advogado da empresa e mostrava claramente que suas intenções não eram boas. Eron precisava fugir dali e manter sua família em segurança.

Quando revelou os planos do amigo para a esposa, ela o ofendeu e disse que não sairia dali. Sem o apoio de Sara, Eron arrumou algumas malas e foi embora com as filhas e a cadelinha. As meninas não entenderam mas seguiram o pai. No caminho algo ruim aconteceu e Eron foi rendido por alguns homens. Ele deveria escolher uma das meninas para ser levada com eles ou ele e as duas meninas morreriam ali mesmo. Jully, a mais velha, estava muito doente e ao mencionar isso aos sequestradores, eles levaram a filha mais nova, Lyz.
Naquele momento, a vida de Eron foi destruída e durante muito tempo ele se martirizou. Mas algo inesperado aconteceu e doze anos depois ele está com uma pista que pode levá-lo ao paradeiro de sua filha. Eron decide retornar ao lugar de onde fugiu, na esperança de encontrar sua menina. Mas a cidade está um caos, manifestações políticas estão acontecendo com frequência e tudo por que a população está indignada com as atitudes do seu representante, Diogo Avelar.

Na liderança das manifestações está uma linda jovem, Eron acaba indo parar no meio do movimento e após um acontecimento em que precisou salvá-la, ele acaba se atraindo por ela. Os dois começam a se conhecer e quando a moça revela o seu nome ele fica surpreso, pois a jovem tem o nome de sua filha sequestrada, Lyz. Eron vai em busca de respostas e o que encontra são terríveis revelações. Ele, então, se vê diante de uma verdade esmagadora e percebe que nem sempre as coisas foram fiéis à realidade.
Minha impressão
Uma obra que nos apresenta uma premissa instigante e seu enredo nos envolve em cada página. A trama nos intriga cada vez mais e quando Eron encontra a jovem que tem o nome de sua filha, tudo fica mais intenso. As buscas que se seguem vão mostrando as verdades que, por anos, se mantiveram escondidas e eu acompanhei esse desenvolvimento com uma certa agonia, pensar que ele poderia estar apaixonado pela filha que tanto procurou foi desesperador. 

A história conta com muito suspense, claro, mas também ganha trechos com destaque em ação e alguns toques de romance. Uma obra enigmática que traz um desfecho agradável e ainda nos deixa com aquele gostinho de querer ler mais. 

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário