13 de julho de 2016

[Resenha] A Garota do Calendário - Fevereiro

Título: A Garota do Calendário - Fevereiro (Livro 02)
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus Editora
Páginas: 135
Ano: 2016
Skoob: Adicione



No segundo volume da série A Garota do Calendário, Mia Saunderes será a musa de um artista francês e viverá experiências que a levarão para um profundo autoconhecimento.  Leia a resenha para saber mais.
Aqui você poderá ler a resenha do primeiro volume da série, A Garota do Calendário - Janeiro

Quando o mês de Janeiro terminou, Mia estava com o coração na mão e já sabia que sentiria falta de Wes. No entanto, conseguir levantar a quantia para livrar a dívida de seu pai (um milhão de dólares) sempre foi a sua prioridade. Ao aceitar o emprego, ela tinha em mente que não se apaixonaria nem teria relações sexuais com seus clientes, afinal, não era prostituta e sim acompanhante de luxo. Porém, Wes dificultou as coisas para e além de terem tido relações sexuais, um forte sentimento se instalou em cada um dos dois. Mas Mia segue adiante e Fevereiro lhe traz um novo cliente.

Receosa com o que poderia encontrar, Mia desembarcou no aeroporto de Seattle e foi levada para o local onde passaria suas próximas semanas. Ao chegar, a primeira coisa que notou foi na quantidade considerável de pessoas nuas e nos flashs que disparavam por todos os lados. Ela havia sido contratada para ser a modelo, mas não qualquer modelo, ela seria a musa de um dos maiores artistas, o francês Alec Dubois.
Alec é um artista plástico renomado e suas obras são modernas, inusitadas e muito profundas. Um homem de características muito particulares e com um charme irresistível. Ao vê-lo pela primeira vez Mia o comparou com uma versão muito melhor do Ben Aflleck (então pensa na perfeição) mas esse encontro foi marcado por um desastre embaraçador.

Mia estava admirando um casal, completamente despido, que posava para um dos assistentes do Alec, não percebeu quando ele se aproximou e ao sentir um beijo em seu pescoço assustou-se, causando um belo estrago. Ela acabou provocando um acidente quando a sua bota ficou presa e torceu o tornozelo. Naquele momento, além da vergonha (claro) ela pensou que não seria contratada, mas ele foi extremamente gentil e cuidadoso, deixando claro que o contrato seria mantido
A obra que Alec estava preparando era a melhor de suas criações e Mia seria a sua sua maior inspiração. O primeiro contato de Mia com os flashs de Alec renderam boas imagens para que ele pudesse pintar e fazer sua arte e quanto mais confortável ela se sentia em relação à ele, mais o trabalho fluía. Para chegarem em tal liberdade, eles passaram por alguns momentos íntimos, nos quais Alec se mostrava extremamente romântico, sussurrando palavras carinhosas em francês e que deixavam Mia derretida e vulnerável.

A relação com Alec foi completamente carnal, totalmente diferente do que vivera com Wes e tão profunda quanto. Ela queria saciar a sua vontade e suprir suas necessidades, mas Alec dizia que eles faziam amor e que queria sentir a paixão entre eles. Para Alec, o amor é eterno mesmo quando os amantes não ficam juntos, ele entrega-se de corpo e alma. Alec mostra para Mia que sim, o amor pode ser eterno enquanto dura e durante o mês de Fevereiro eles se amam de milhares de maneiras diferentes e cada um ao seu modo. Mas um dos maiores desafios que Alec enfrenta é fazer Mia amar a si mesma.
Minha impressão
Assim como no primeiro volume, a obra também nos prende nas primeiras páginas e a leitura flui bem rápido, o enredo é tão instigante que eu li o livro em poucas horas e só consegui parar quando cheguei na última página. Não vou negar que senti muita falta de Wes durante a leitura, mas Alec é um francês irresistível e um personagem que surgiu no momento certo na vida de Mia. Quando termina o mês e chega o doloroso momento da despedida, Mia pode ver o resultado do trabalho e fica emocionada com o que vê. 

Nesse volume encontramos mais cenas eróticas, o relacionamento desse casal é mais lascivo e Mia conhece novas possibilidades. Um prato cheio para quem gosta de livros do gênero e mesmo para quem não gosta, apesar do certo impacto que teria ao ler, é uma boa dica de leitura pois a história que encontramos vai além das cenas hot

Livro super indicado!! Que venha o mês de Março (e todos os outros!!!!). Estou curiosa para a leitura e para conhecer o Anthony, um grande empresário no ramo alimentício que a contratou para fingir ser sua noiva, qual será o motivo e que consequências isso vai gerar? 

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário