Desejo (Ana Carolina)

9 de janeiro de 2019

Desejo
Atravesso ruas calmas
Vou pelo passeio
Às vezes me canso dos meus cabelos
das minhas roupas
Me canso do meu jeito
Até de alguns amigos que amo muito
Seria foda poder sair pela rua como um homem de cabeça branca e terno
Ou ser o cara da lan house falida
ou até a criança acalentada no colo da mãe
Passeio calmamente com meus olhos, meus sapatos,
meu passado, meu esquecimento, meus anseios
Atravesso ruas calmas
De mim, estou alheio,
enquanto meu desejo de ser outro
me atravessa em cheio

Ana Carolina
(Retirado do livro Ruído Branco - Página 19)

11 comentários:

  1. Uau, que lindo poema, é como se a pessoa se sentisse perdido.
    Ainda não li esse livro, mas ficou gostinho de quero mais! *-*

    Jardim de Palavras

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem? Não lembro de ter visto o livro do qual tirou o texto. Vou dar uma pesquisada.
    Atualmente tenho lido tantos poemas e poesias que já virou rotina por conta do meu curso.
    Gostei.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Oi Beatriz!
    Que lindo, amei tua escolha!
    Ainda não li o livro, mas está na minha lista de desejados. Amo poesia!

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Gostei de ler este pequeno poema, este pequeno desejo-devaneio do sujeito poetico... Interessante escolha!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Eu não tenho o hábito de ler poesias, mas adorei essa e a profundidade das palavras. Esse final deu uma destruída no meu coração, sabe?
    Obrigada por compartilhar conosco.
    Beijos,
    @umoceanodehistorias_

    ResponderExcluir
  6. Eu preciso ter o habito de ler poesias, porque tá ai algo que nunca me encantou, mesmo na época da escola.
    Achei bonito toda essa profundidade, Ótima coisa pra se compartilhar e destruir corações (risos)

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Confesso que apesar de não ler muitas poesias, adoro as que você seleciona para colocar aqui no seu blog. Simplesmente lindas e bem escritas! Adorei demais esta poesia assim como as outras que já li por aqui

    ResponderExcluir
  8. Oiii Bea

    É aquele poema com o qual em algum momento a gente se identifica pois todo mundo ja sentiu isso, como seria ser outro ou até mesmo como gostaria de ser outro em certo ponto. Adorei as palavras, honestas e fáceis de compreender.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Adorei, afinal, quem nunca quis ir para pele de outra pessoa para fugir de seus problemas ou do fato de não ter problemas? Profundo, com certeza ele conversará com muitas gente que se identificará com essas questões pessoais. Gostei dele e vou pesquisar o livro <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Não conhecia o livro, porém gostei do trecho selecionado. A comparação incluindo roupas e o desejo é muito bem feita também.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  11. Que reflexivo, Bia! Coloca-se no lugar do outro é um exercício difícil, mas um exercício nobre.Às vezes também eu me sinto casada da minha pele.

    ResponderExcluir