5 de agosto de 2016

[Resenha] A Casa do Poeta

Título: A Casa do Poeta
Autor: Leandro Salum
Editora: Autografia
Páginas: 96
Ano: 2016
Skoob: Adicione
*Cortesia da editora


Uma obra que nos fala com simplicidade sobre questões cotidianas e sentimentos íntimos do nosso ser. Continue lendo e veja a resenha.
PALAVRA
A palavra é uma arma
De poder sem semelhante
Se em repouso ou em guarda
Sua lâmina é cortante. 

A palavra mal usada 
É uma arma contundente
Sua lâmina é afiada
Sua chaga, permanente.
(página 74)

Leandro Salum nos apresenta uma linda coleção de poesias que emocionam, onde as palavras unidas causam um impacto durante a leitura e até momentos de reflexão. O cotidiano é exposto através do olhar de um poeta que deixa transparecer o seu interior através das páginas de sua obra.

A Casa do Poeta retrata medos, anseios, vida, amor, esperança e os mais variados sentimentos que o ser humanos é capaz de perceber. Poesias para serem lidas diariamente, seja pela manhã, naquela pausa da correria do dia ou mesmo antes de dormir, são poesias que alimentam a alma e enchem o coração.
Minha impressão
Eu gosto muito de poesias mas não é com grande frequência que encontro uma obra contemporânea que traga uma coleção encantadora assim. O poeta é espontâneo e escreve com humildades, durante a leitura de algumas poesias eu tive a sensação de que estava vendo os meus próprios sentimentos e pensamentos transcritos nas folhas em minhas mãos. 

CASTELOS DE AREIA
Somos feito crianças
Brincando junto ao mar.
Tão cheias de confiança
Vivendo sem preocupar.

Construímos nossas casas
E torres de areia fina.
Perto de águas rasas
Sob um sol que ilumina.

Mas vem o mau tempo
Nuvens mudam de cores.
É certo que o vento
Desfará nossas torres.

A vida é oceano.
Sua vontade é maré cheia.
Nossos sonhos e planos
São castelos de areia. 
(página 14)

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário