2 de julho de 2018

[Resenha] A Marcha

Título: A Marcha (Livro 1)
Autores: John Lewis, Andrew Aydin, Nate Powell
Editora: Nemo
Páginas: 128
Ano: 2018
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora


Sinopse: O parlamentar John Lewis é um ícone nos Estados Unidos e uma das principais figuras do movimento pelos direitos civis. Seu comprometimento com a justiça e a não violência o levou de uma pequena fazenda no Alabama para os corredores do Congresso norte-americano; de uma sala de aula segregada para a Marcha em Washington; dos ataques da polícia ao recebimento da Medalha Presidencial da Liberdade pelas mãos do primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

A Marcha retrata a longa batalha de Lewis pelos direitos humanos e civis, seu encontro com Martin Luther King Jr. e a luta para dar fim às políticas de segregação no país.

Resenha
"(...) quando eu era moço, não havia nada que se pudesse chamar de movimentos pelos direitos civis. Eu queria trabalhar em alguma coisa, mas, crescendo na zona rural do Alabama, meus pais sabiam que podia ser perigoso bagunçar o coreto."
Em 1951, fez a sua primeira viagem ao Norte e foi um percurso carregado de tensão. Ele sentia o seu tio nervoso e entendia o motivo, havia lugares nos quais não permitiam pessoas "de cor", eles não podiam parar para abastecer, se alimentar ou ir ao banheiro. Precisavam passar direto até chegarem a algum lugar seguro para negros. Quando finalmente chegou à casa do tio se surpreendeu ao ver a quantidade de pessoas brancas, inclusive os vizinhos.
Aquela viagem lhe abriu os olhos para as diferenças entre brancos e negros. Tudo era diferente. Para as pessoas "de cor" as coisas eram sempre mais difíceis, os piores transportes, ruas não pavimentadas, colégios sem parquinhos para as crianças... Mas para estudar era preciso muita força de vontade, além de todas as dificuldades impostas pela sociedade, ainda precisava driblar os pais que lhe obrigavam a ficar em casa e trabalhar. Mesmo assim , o jovem John Lewis adorava ir ao colégio e frequentar a biblioteca.

Certa vez, John Lewis ouviu um sermão pelo rádio de um pastor que ainda não conhecia (Martin Luther King), mas a mensagem lhe tocou profundamente e ele foi pesquisar sobre o homem. Quando Martin Luther King comandou um boicote aos ônibus, após Rosa Parks - uma jovem negra - ter sido presa por não ceder o seu assento a uma branco, John Lewis viu que era possível fazer muito mais e se inspirou.
Ele começou a frequentar oficinas de não violência no porão da igreja, lá os jovens negros aprendiam a resistir à pressão. Nas ruas eram ofendidos, humilhados, agredidos. Nas oficinas eles recebiam um treinamento para não reagir em hipótese alguma. Era um treinamento pesado. Então, grupos se formaram para ir à lojas onde negros não podiam sentar no balcão de lanches, não podiam usar o provador, e, embora pudessem comprar nas lojas, não eram bem-vindos. Esses protestos consistiam em entrar nas lojas segregacionistas e pedir que os atendessem, quando fosse negado o atendimento iriam embora. Sem reagir. Sem causar tumulto.
"Lawson nos ensinou a nos proteger. Como desarmar nosso oponente tentando nos vincular ao que eles têm de humano, como um pode proteger o outro,como sobreviver. Mas o mais difícil de aprender - de entender, no fundo do coração... Era como encontrar amor pelo seu agressor."
O movimento cresceu tão rápido que tinha um grande número de participantes que não haviam tido o treinamento de não violência, para facilitar, foi distribuída uma lista com o que fazer e o que não fazer. Um grupo estudantil foi criado para coordenar os protestos e ficou conhecido como SNCC (Comitê Estudantil de Coordenação Não Violenta).
Minha impressão
A obra é curtinha e é possível ler bem rapidinho. A história está dividida em duas linhas do tempo que se entrelaçam no decorrer das páginas. Começamos a leitura com John Lewis se preparando para ir ao juramento de posse de Barack Obama, ele está em seu escritório quando chega uma senhora com os seus dois filhos, ela queria que eles vissem mais sobre a história deles. John Lewis os atende de maneira muito simpática e começa a contar-lhes a sua trajetória.

Embora eu já conhecesse um pouco sobre a história de John Lewis, com a leitura deste livro eu descobri mais sobre a pessoa incrível que ele é e sobre a sua luta. É doloroso ver o quanto o ser humano consegue ser cruel, mas nos dá esperança encontrar pessoas com os personagens desse livro que mudaram a História.

Enfim, esse ainda é o primeiro volume de uma trilogia e quero acompanhar os próximos.

Minha nota para o livro

11 comentários:

  1. Ainda não li nada no estilo, mas achei a ideia de trazer uma história real para esse formato fenomenal, pois poucas pessoas se interessam por livros mais biográficos. Confesso que conheço bem pouco dessa luta que ainda hoje é necessária, então conhecer sobre essa pessoa incrível que mencionou é interessante e preciso. Agora eu fiquei de queixo caído... é uma trilogia?! Quero ainda mais.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Não conhecia essa obra, e apesar de não ler esse tipo de história, fiquei curiosa com esse livro. Apesar do livro ser pequeno, podemos aprender e entender melhor sobre essa briga, que parece não ter fim. Gostei de conhecer um pouco sobre esse livro e já anotei a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bia!
    Adoro esse tipo de histórias e fiquei muito intrigada para ler esse livro, me arrependo de não ter adquirido quando pude. Eu, ao contrário de você, não conheço muito a história de John e acho que essa será uma ótima oportunidade.
    Vou anotar a dica, claro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia essa obra, e nunca li nada nesse formato. Já fiquei curiosa depois da sua resenha.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse livro mas esse enredo é rico em mensagens para vida, além de ser interessante, importante e inspirador. Esse assunto deve ser sempre lembrado para que absurdos assim não voltem a acontecer e os preconceitos que ainda persistem precisam sim ser combatidos.
    Obrigada pela indicação e parabéns pela leitura.

    ResponderExcluir
  6. Já li umas duas resenhas dessa obra e estou realmente louca para ler por trazer a história de um homem tão importante na luta pelos direitos humanos.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? HQ's sempre são ótimas dicas que anoto, e com esta não foi diferente. Não conheço muito a história, mas fiquei bem interessada pelo que você trouxe na resenha. Não sabia que seria trilogia, então ficarei no aguardo dos próximos para ler tudo junto :D Ótimas palavras e fotos <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu não conhecia o livro e nem o personagem principal. A história me parece ser bem impactante e nos faz conhecer um pouco mais sobre o racismo da época. Não sou muito de ler em quadrinhos, mas acho que vale super a pena dar uma chance ao livro.
    Adorei a sua resenha.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  9. Estou louca por essa HQ, primeiro pq o trabalho da Nemo é maravilhoso e segundo por ter uma história de muita importância... Adorei ler as suas impressões e reafirmar a minha vontade de leitura!

    ResponderExcluir
  10. Oi Bia,
    Que show essa Hq, além de falar sobre uma pessoa muito importante, acredito que o fato de ser uma HQ facilita para que outras pessoas tenham acesso a leitura. Comecei a ler Hqs recentemente e a experiência tem sido ótimo, só posso imaginar que a leitura foi incrível e repleta de conhecimento.

    Beijokas

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Eu não conheço o livro mais estou muito curiosa para ler o livro. Sua resenha me deixou curiosa para saber mais do livro dica anotada

    ResponderExcluir