8 de setembro de 2016

[Resenha] Meninas Que Adestram Lobos

Título: Meninas Que Adestram Lobos
Autora: Mara Chan
Editora: Chiado
Páginas: 158
Ano: 2015
Skoob: Adicione
*Cortesia da editora


Um livro que fala com clareza sobre uma doença autoimune, chamada Lúpus. Com relatos de sobreviventes, a autora nos mostra as dificuldades e ajuda aos que sofrem da doença, que na maioria são mulheres. Continue lendo e conheça um pouco do livro.
Lúpus é uma doença devastadora e ainda pouco conhecida, não se sabe nada (ou quase nada) de suas causas e muitas vezes é confundida com inúmeras doenças, como por exemplo HIV. As estimativas de vida para quem tem a doença são baixas e grande parte das pessoas que a possuem acabam se entregando. A luta é muito grande e os sintomas são os mais variados possíveis. Existem três tipos de Lúpus, que são:

  1. LES (Lúpus Eritematoso Sistêmico) - Pode afetar vários órgãos e sistemas e é o mais agressivo e que expõe os pacientes à maiores riscos;
  2. LED (Lúpus Eritematoso Discóide) - Afeta somente a pele. Exemplos de manchas na pele, principalmente nas áreas expostas ao sol e mudança na pigmentação;
  3. LIM (Lúpus Induzido por Medicamentos) - Ocorre após o uso prolongado de algum medicamento. Geralmente os sintomas são leves e somem após a suspensão do tal medicamento. 
O tratamento é individual para cada paciente,os sintomas apresentados por cada pessoa são diferentes e para isso cada uma precisa de um tratamento específico para o seu caso. Especulações vão surgindo sobre tratamentos ou motivos. Alguns dizem ser hereditário, outros dizem ser um erro na fabricação de cromossomos, mas ninguém pode dizer o motivo de uma pessoa ter Lúpus e o por que a maioria dos afetados são mulheres, cerca de 90%.

Em "Meninas que adestram lobos" vamos encontrar mulheres fortes, que se depararam com essa assustadora doença e que tiveram força de vontade para seguir em frente. Mara Chan, nos mostra os problemas enfrentados diariamente por pessoas que vivem à mercê de sua fragilidade física, mas que são fortes ao ponto de suportar cada obstáculo e, mesmo diante de todas as dificuldades, seguem com fé e esperança.
Minha impressão
É um livro que nos permite conhecer mais sobre a doença e nos ensina que nem tudo está perdido. No final, vemos os depoimentos de mulheres que venceram a doença, que não se permitiram ficarem abatidas, que não se entregaram. Mulheres que adestraram seus lobos e hoje podem contar seus relatos. Elas aprenderam com muita luta, a batalha é diária e a força precisa ser enorme para conseguir atravessar o caminho árduo, mas atualmente apoiam outras lúpicas e incentivam para que não desistam. 

Muitos momentos da leitura são emocionantes, acompanhamos processos dolorosos por meio das explicações da autora sobre a doença e através de depoimentos. É uma obra para quem descobriu recentemente ter sido afetada pelo Lúpus ou para quem conhece alguém que tenha a doença, mas isso não restringe o público e qualquer um que tenha a vontade de ver histórias de superação vai se envolver com a leitura, muitas vezes mais técnica, mas sempre trazendo aprendizado. 

Enfim, é um bom livro mas que parar ler você precisa estar interessado no assunto, não adianta achar que vai encontrar histórias fofas e romances bonitinhos. O que você vai encontrar é a realidade de pessoas afetadas por uma doença assustadora e que ainda é uma incógnita para a medicina. 

Se indico a obra? Claro que sim! Para mim, a leitura desse livro foi uma experiência diferente. Pude aprender um pouco sobre a doença, mesmo que não se saiba muito sobre ela, ver depoimentos e saber que existem mulheres que apoiam umas às outras na batalha contra o Lúpus. 

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário