23 de janeiro de 2016

[Resenha] O Lado Bom da Vida (Livro)

Título: O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Ano: 2013
Páginas: 256
Skoob: Adicione



Pat Peoples é um ex-professor que acabou de sair da clínica psiquiátrica. Ele não consegue se lembrar os motivos que o levaram a ser internado e nem sabe quanto tempo passou lá. A única coisa que se lembra é que a sua esposa, Nikki, quis que eles ficassem "um tempo separados". Ele deseja que esse tempo acabe logo, nesse período ele tem alguns surtos e sua memória continua cheia de lacunas. Seus amigos e sua família se recusam a falar sobre o seu passado e ele vai tentando se recompor da melhor maneira que encontra. Pat acredita mesmo no lado bom da vida.
Pat foi internado em uma clínica psiquiátrica e não sabe os motivos da internação, sua memória está cheia de falhas e ele só quer voltar para casa, voltar para a sua Nikki. Acontece que a esposa não quer vê-lo e não permite que ele entre em contato com ela. Ele fica algum tempo internado mas não faz ideia de quantos dias passou lá, no começo do livro ele é liberado. Após sair da clinica psiquiátrica, Pat precisa ir morar com seus pais pois não tem um emprego e nem sua casa. Ele aceita ajuda até que o "tempo separados" termine.

Ele acredita que tenha acontecido algum desentendimento entre ele e a esposa, reconhece que está um pouco acima do peso e que algumas vezes não dava para Nikki a atenção e o carinho que ela merecia. Decidido a surpreendê-la e a agradá-la, Pat decide fazer exercícios puxados e tentar ser mais gentil com as pessoas. Na esperança de que Nikki volte logo, ele começa a ler os livros que ela mais gosta para poder conversar com ela sobre seus assuntos favoritos.
"Estou praticando ser gentil em vez de ter razão"
No decorrer da história, nós vamos acompanhando a trama sob o ponto de vista de Pat, sua cabeça não está nada boa, então dá pra entender um pouco a sua confusão.  Pat percebe que algumas coisas mudaram mas ninguém fala abertamente sobre o seu passado, ele questiona sobre a esposa e apenas lhe falam que ele não pode chegar perto dela. Em uma noite, ele é convidado para jantar na casa de seu melhor amigo e lá Pat conhece a Tiffany, cunhada de seu amigo. A jovem também tem um passado conturbado e faz tratamento psicológico.

Pat acabou ficando fissurado em exercícios, todos os dias ele acorda cedo para correr e segue sua rotina. Tiffany passou a segui-lo e começa a correr também. Ele não quer ser rude com ela e aceita a companhia. Enquanto Pat só fala de Nikki e Tiffany passou a ser uma ótima amiga, eles saem juntos e ela tenta ajudar. Ambos tem problemas psicológicos e precisam de ajuda profissional, mas um entende o outro, eles passam pelas mesmas coisas e sabem as dificuldades que enfrentam.
"O mundo encontrará várias e várias maneiras de te machucar, mas você vai encontrar uma pessoa que te traga tanta felicidade e que te ame tanto que as feridas do mundo não vão mais te atingir, porque ela te protege, ela te ama, e acima de tudo você ama ela."
Durante a leitura, vamos descobrindo o que realmente aconteceu, para Pat ele só está passando pelo "tempo separados" mas é possível ver que a coisa é mais difícil do que ele acredita. Algo de ruim aconteceu no passado e ele foi o causador. Embora Pat não saiba o que tenha acontecido ele agora quer mudar, quer fazer sua esposa feliz e fazer com que ela se sinta bem ao lado dele. Pat é um homem extremamente positivo e sensível, procura ver o lado bom em tudo e fica entristecido com o pessimismo das pessoas. Na história de Pat, Tiffany terá um papel fundamental, pois além de entender o que acontece com ele, a jovem decide ajudar, ela quer que ele reencontre a esposa e que sejam felizes, parte disso vem de seu passado, de seus traumas.
Minha impressão
O Lado Bom da Vida é um livro simples e com uma história muito bonita. A ingenuidade de Pat chega a irritar em certos momentos, mas vale lembrar que ele tem sérios problemas psicológicos e que faz tratamento regularmente. Pat, com certeza, é um personagem sensacional, ele procura enxergar as coisas boas e abstrai, completamente, as ruins. Pat é encantador. Sua mente está uma bagunça e é nesse cenário que somos jogados na leitura, podemos ver as mentiras que o cercam e que ele acredita serem verdades. O mais instigante do livro é tentar entender o que aconteceu no passado, pois em momento algum isso é mencionado, deixando uma curiosidade maior. 

Em certos pontos da história eu torcia para que tudo desse certo e ele voltasse para Nikki, mas então, uma ou outra coisa era deixada no ar e eu ficava na dúvida se, realmente, seria bom tanto pra ele, quanto pra ela. Em outros pontos eu torci para que a amizade dele com a Tiffany se transforma-se em algo mais, que um relacionamento acontece entre eles, mas ele está cegamente apaixonado por Nikki e a Tiffany quer ajudar. 

Não é um livro cheio de ação ou com fortes emoções, mas sim um livro que nos faz pensar, a positividade de Pat é contagiante, embora às vezes seja pura ingenuidade. Uma linda história e que tem um final encantador. Clichê? talvez, mas com uma beleza marcante. Uma leitura que nos ajuda a acreditar mais no improvável, nos ajuda a manter a cabeça erguida, qualquer que seja o problema. às vezes é preciso fazer como Pat, acreditar no lado bom das coisas e praticar ser gentil.
Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário