11 de janeiro de 2016

[Resenha] Alice no País do Amor

Título: Alice no País do Amor
Autor: Lucilla Guedes
Editora: Chiado
Páginas: 228
Ano: 2015
Skoob: Adicione



Alice é uma mulher madura e romântica assumida. Desde sua infância ela é apaixonada por Max, mas seu amor platônico nunca foi correspondido. Agora, Max está noivo de sua melhor amiga e ela é a madrinha. Alice conta com o apoio de seu melhor amigo, Alan, que também é seu confidente. Na festa de aniversário da amiga, algo inesperado acontece e Max tenta seduzi-la. Alice fica dividida entre seu amor e sua amizade, o que será que vai acontecer?
"Nada é tão devastador quanto o amor não correspondido. Mas quando o homem amado decide se casar com outra, e esta outra é a sua melhor amiga, a dor parece infinita."
Alice é uma advogada curitibana beirando os trinta anos, mora sozinha e tem uma autoestima um pouco ferida. Sua infância foi sofrida com as muitas brigas de seus pais, o pai descontava nela todas as suas frustrações e a mãe tentava reparar isso satisfazendo suas vontades, não cresceu uma garota mimada, apenas teve "amor em dobro" da parte da mãe, para compensar a falta de afeto da parte do pai. Nos momentos de briga ela corria para a casa de seu vizinho e ele sempre a alegrava com sorvetes, nascia ali o amor de Alice por Max.

Quando seus pais decidiram se mudar, ela acabou perdendo o contato com Max, mas o amor por ele continuou latente em seu coração. Anos mais tarde, ela o reencontra na faculdade e para a sua surpresa ele é o seu professor.

Todo o sentimento que estava escondido veio à tona com toda a sua força, porém ela não teve coragem de assumi-lo e continuou amando-o em segredo. Até o dia em que Helen, sua melhor amiga, conhece Max e ambos se apaixonam, deixando Alice com o coração entristecido.

Tempos depois, o namoro de Helen e Max se intensifica e eles anunciam o casamento. Alice fica completamente destruída por dentro mas tenta se segurar para que ninguém perceba, nesses momentos de tristeza, agonia e desespero, ela busca apoio em seu amigo Alan, que está sempre por perto para ampará-la.
"Bonitinha mas sem charme. Uma figura apagada. Era romântica demais, tímida demais.Entediante talvez. Havia algo de errado comigo. Porque Max não me amara?"
No aniversário de Helen, a festa foi à fantasia e Alice teve uma atitude ousada para uma mulher tímida como ela, escolheu um vestido muito justo e curto, ficou linda como nunca. Seu fantasia era de Alice, Alice no País das Maravilhas. Ao chegar na festa deparou-se com Helen vestida de A Rainha de Copas, Max vestido de Chapeleiro Maluco e Alan vestido de Coelho. Helen já bebera um pouco além do seu limite e começava a soltar algumas farpas para cima de Alice, que respondia à altura.

Max passa a festa toda a rodeando de dando algumas indiretas, mas o final da festa foi o ápice. Max se oferece para levá-la para casa e no caminho, literalmente, se joga em cima dela. Fala abertamente o quer e o que pensa, deixando Alice completamente divida, não quer magoar sua amiga, não quer ser o motivo de uma separação mas seu coração o ama desde sempre. Max não está disposto a desistir e Alice fica entre a razão e o coração.
Minha impressão
Eu estava muito curiosa com esse livro, desde que o vi no site da editora eu fiquei interessada nele, posso dizer que minhas expectativas com essa leitura foram atendidas. Um romance que nos surpreende com o rumo que leva. Depois do aniversário de Helen, as coisas ficam mais estreitas, novos fatos surgem e um amor inesperado aparece. Alice é uma romântica que anda pelos cantos citando contos de fadas e grandes poetas. Sempre ao lado do melhor amigo Alan, que oferece seu ombro para que Alice chore, quantas vezes forem necessárias, e olha que ela precisa muito. 

Um romance gostoso de ler e com uma linguagem formal, mas de fácil compreensão. No livro podemos ver muitas citações e em certos pontos achei demais, pois algumas acontecem algumas comparações com personagens, histórias e até séries de TV que eu desconheço e tive que fazer uma breve pesquisa para me situar, mas não é nada que atrapalhe a leitura. Com um ritmo leve é uma leitura rápida, com um toque clichê é muito agradável de acompanhar. O final não poderia ter sido melhor, torci o livro todo para que fosse assim e fiquei satisfeita com o desfecho da trama.
"Naquele exato instante compreendi que alguns clichês são plenamente justificáveis."
Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário