15 de janeiro de 2016

[Resenha] Grey

Título: Grey
Autor: E L James
Editora: Intrínseca
Páginas: 524
Ano: 2015
Skoob: Adicione



Cinquenta Tons de Cinza pelos olhos de Christian Grey foi um dos livros mais esperados de 2015, a trilogia 50 Tons ganhou milhões de fãs pelo mundo e ao mesmo tempo que fez esse enorme sucesso, também recebeu críticas muito negativas. E L James, atendeu ao pedido de seus fãs e realizou o sonho dos apaixonados pela série, Grey mostra a história entre a universitária tímida e o empresário controlador, sob o ponto de vista do Christian. Será que esse livro vai agradar aos fãs da série? bom, leia a resenha e confira a minha opinião.
Antes de falar sobre o livro é preciso deixar bem claro o seguinte: Grey mostra os mesmos acontecimentos do primeiro volume da série (50 Tons de Cinza), são os mesmos diálogos, os mesmo e-mails e "quase" as mesmas cenas, digo quase pois a única diferença é que ao invés dos pensamentos da Anastasia e o blábláblá da deusa interior, vemos os pensamentos de Christian, mas é tudo basicamente, a mesma coisa. Dito isso, vamos ver detalhes do livro.

Que Grey é um controlador ferrado que usa o sexo para escapar de suas frustrações, todo mundo já sabe. Que a Ana é uma universitária tímida e desajeitada, que se encanta pelo poderoso Grey, todo mundo já sabe. Então vou pular a parte da história que conta como esse relacionamento se desenvolve, como o BDSM entra na relação e como Ana reage e vou falar sobre o que realmente interessa, que são as poucas novidades que Grey apresenta.
Nessa nova visão dos fatos, conhecemos um Grey mais sensível porém temeroso. Ele é sim um controlador, mas entendemos que ele tem medo de perder Ana e que realmente está apaixonado por ela, mas não admite nem para si mesmo e nem para Ana. Aos poucos podemos ver a mudança que a jovem vem causando no Christian, até sua maneira de agir com os funcionários fica mais agradável.

Antes de chegar ao ponto de ser um milionário famoso e praticante do BDSM, Christian sofre muito em sua infância. Isso não é novidade, mas nesse livro, ele tem sonhos e lembranças dessa fase triste de sua vida. Podemos ver com maior intensidade o quanto ele sofreu. Descobrir como suas cicatrizes apareceram, ver os abusos que sua mãe sofria e ele presenciava. É difícil imaginar uma criança nas condições em que ele viveu. Mas pós a morte de sua mãe ele foi resgatado e sua nova família lhe dará todo o amor e confiança de que ele precisava.
Ele não consegue superar os abusos e as violências e cresce um menino revoltado, mas isso até conhecer Elena (Sra Robson). Elena é a melhor amiga de sua mãe adotiva, uma mulher bem mais velha do que ele, casada, sexy e que começa a seduzi-lo enquanto ele era apenas um jovem adolescente. Vamos descobrir um pouquinho mais do relacionamento entre eles. A Elena, aparece mais vezes, claro, ela ainda é uma amiga dele, vamos ver conversas, telefonemas e e-mails.

Também vamos acompanhar uma das consultas de Grey com o Dr Flynn, seu terapeuta. Sem muitas novidades, já que o Christian contava boa parte das seções para Ana, então já temos uma ideia de como são as consultas.

Mas Bia, cadê as novidades que você falou? também me fiz essa pergunta ao terminar de ler. Por mais que seja um olhar diferente sobre a tão famosa história, o livro é praticamente um repeteco. Já contei sobre o livro, agora quero falar a minha opinião.
Minha impressão
Quando eu vi que a Intrínseca anunciou o lançamento de Grey, eu fiquei eufórica pois também queria muito saber mais sobre esse personagem tão complexo e curioso, eu esperava que fosse mostrar o lado sombrio e obscuro dele. No primeiro livro da série a visão da Ana nos mostra um Christian controlador pra caramba, que chega a dar medo em certos momentos, totalmente sexy e apaixonante, sabemos que ele teve uma infância sofrida e que tem um lado possessivo. Então imagina-se que sob o ponto de vista do próprio Grey, veremos as cenas de dominação com o seu olhar controlador e bem mais intensas do que com o olhar de uma virgem inexperiente descobrindo o BDSM. Mas não é bem assim.

Claro que o Christian é um personagem muito melhor escrito do que a Ana, com a baboseira de "deusa interior" pra cá e pra lá. Ele é muito mais maduro e muito mais inseguro do que já se esperava. É triste acompanhar sua dolorosa infância e ver seus medos enquanto crescia. Mas não pense que temos detalhados capítulos sobre isso, não mesmo. São apenas trechos soltos entre as páginas. 

Eu não sou de falar mal de livro, quem acompanha o meu blog sabe que falo a verdade sobre o que achei de uma determinada obra, mas falar mal não, afinal, se o livro não me agradou pode agradar à outros leitores e faço questão de dizer isso. Mas Grey foi um livro muito decepcionante para mim e eu não estaria sendo sincera com os leitores do blog se não falasse tudo o que achei. Já vi que muitas pessoas gostaram do livro, só que eu não gostei. Não estou dizendo que é um livro ruim, pois não é, mas acontece que É A MESMA COISA do primeiro livro, gostou do primeiro? beleza, talvez você goste desse. Não gostou do primeiro? também não vai gostar desse. 

Para finalizar, quero dizer que apesar desses pontos negativos e repetitivos, descobrir a visão de Grey é interessante, mas confesso que se não fossem as mesmas cenas, o livro ficaria muito melhor. Acho que a autora poderia ter inovado e surpreendido os fãs, se já contou a história toda em uma trilogia, poderia ter cortado muitas cenas e até mesmo ter resumido a trilogia inteira em apenas um livro sob o olhar do Grey, mas infelizmente, ela optou por fazer tudo da mesma maneira e trazer pelo menos mais um livro. Vou ler a continuação? sinceramente não sei. Fiquei curiosa para saber como o Grey vai reagir com Jack (patrão da Ana), a cena da Leila (ex-submissa do Grey) no apartamento e toda a história. Mas se for pra ler mais um livro (ou serão dois?) igual e sem surpresas, eu prefiro não ler. 

Então, é isso. Se eu não gostei, não quer dizer que você não vá gostar. É preciso que cada um tire as suas próprias conclusões, não estou aqui para dizer não leia o livro por motivos a, b ou c, apenas estou dando a minha opinião. 

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário