28 de maio de 2018

[Resenha] Poemas ao Desabrigo

Título: Poemas ao Desabrigo
Autor: Raul de Taunay
Editora: 7 Letras
Páginas: 112
Ano: 2016
Adicione ao Skoob
*Cortesia da Oasys Cultural


Sinopse: Poeta de uma singularidade lírica exclusiva, personagem forte e marcante, Raul de Taunay, com sua imensa sensibilidade, emerge definitivamente nesta obra como uma das grandes revelações da poesia brasileira contemporânea. Seguindo o caminho das margens que percorreu pelo mundo inteiro à procura de uma fonte para as suas palavras, este poeta intenso faz da poesia um deleitoso momento de prazer e revela, nestes poemas ao desabrigo, a perfeita harmonia entre forma, beleza, crueza e liberdade numa sequência de odes, elegias, trovas, baladas e sonetos marcantes e inesquecíveis.

Resenha
Rumo de Casa
Eu sei que um dia vou sossegar,
Voltar para minha terra e ficar,
Bem sei que o vento vai abrandar,
E a chuva vai deixar de pingar.
Troquei sapato e fui caminhar,
Andei estradas longas sem fim;
Vaguei sertões carentes de mim,
Busquei atalhos árduos de achar.
É certo, de seguir não deixei,
A estrela me levou a avançar;
Na pelo do alpinista escalei,
Romeiro e peregrino a buscar.
O amor eu vi fluindo no ar,
A dor a explodir ondas no  mar,
O dia a me rasgar num festim,
A noite a ninar sonhos em mim.
Parei um dia e pus-me a pensar,
Se tinha mesmo que ir ou fica;
Se a ida era a busca ou a fuga,
Se a vida era um cisto na lupa.
Um dia irei cantar do meu jardim,
Fazer a ceia sobre o gramado,
Em casa achar meu rumo, enfim.
(Página 83)
Poemas ao Desabrigo nos proporciona momentos de leitura que aquecem os nossos corações. São poemas repletos de muito sentimentalismo e intensidade, que falam sobre saudade e nos permitem um olhar mais profundo sobre nós mesmos através de seus versos.

Semelhança
Meu Rio de Janeiro, quanto te pareço nas alegrias,
Se na superfície sou este fluir de águas cristalinas,
Esta topografia infinita, esta mescla bem-sucedida,
Um sol risonho que ilumina a vida e que, todavia,
Na profundidade do outro lado desta mesma via,
Escondo uma alma ao desamparo, um canto partido,
Um despreparo, a nostalgia de carnavais passados,
A tempestade do fogo cruzado, do poema saqueado,
Do céu sombreado, da noite perdida, do beijo salgado,
Das trevas no peito assombrado que sonha acordado.

Meu Rio de Janeiro, no quanto te sou semelhante,
Feito de versos, clarões dispersos, ondas palpitantes.
(Página 87)
Os poemas de Raul de Taunay refletem a sua experiência de vida e possuem um estilo próprio, marcado por traços muito brasileiros. A saudade de casa (de suas raízes) se faz presente em todo o livro.
"Eu tenho em mim muitos desertos
Que, pelas noites se debruçam frios,
Como lâminas, a fatiar-me o peito."
(Trecho de Alvoroço, página 19)
Minha impressão
Poemas ao Desabrigo é uma obra belíssima e, como amante de poesias, senti-me completamente satisfeita com a leitura. O poeta toca-nos a alma com sua escrita delicada e tão profunda.

A capa é linda e achei que ela combina perfeitamente com a obra, uma paisagem que só de olhar nos provoca uma nostalgia que se repete ao longo do livro.

Eu selecionei 3 poemas para trazer para vocês na coluna De Bem Com a Poesia, são eles: A Tristeza da Partida, De Mão em Mão e Lamentares.

Recomendo demais a leitura!

Minha nota para o livro

14 comentários:

  1. Oi Beatriz, eu não tenho muita sensibilidade para entender poemas, então normalmente é a Lari quem lê. Na verdade, eu gosto de ler, e não de resenhar. este eu ainda não conhecia, mas adorei conhecer.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Já disse aqui que preciso ler mais poemas, né?
    E sempre que entro aqui no seu blog e encontra uma publicação sobre, me sinto culpada por ainda não ter e jogado rs.
    Adorei a dica desse <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Livros de poesias assim é bem cara de inverno com um xícara de café haha não sou muito de ler essa temática, mas vez ou outra tento me arriscar, por isso dica anotada. Realmente tem uma capa bonita, eu particularmente gostei! Adorei a resenha <3
    Beijos,
    https://diariasleituras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi! Tudo bem? Confesso que, ao contrário de você, eu não sou muito fã de poesias, normalmente evito ler porque não me agradam, mas estas me agradaram bastante, me passaram um sentimento bom. Não sei se arriscaria ler um livro inteiro, por isso passo a dica, mas imagino que para os amantes do gênero deve ser uma excelente dica!
    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Olá, eu não li muitos livros de poesia mas este trás um tema bem gostoso de se ler.. Da saudade da terra, do apego ao lugar e da nostalgia.. Achei interessante e a capa é realmente linda, espero poder ler ele um dia!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  6. Bea, assim como voce, sou uma baita fã de poesia e sinceramente, que livro mais incrível! Tudo casa tão bem nessa obra, seja a simetria, a capa, a poesia em si! Amei demais, que sensação gostosa ao terminar de ler esses poemas.

    ResponderExcluir
  7. Nada melhor do que palavras que aquecem o coração. Gosto bastante de poemas, ainda mais quando são capazes de me fazer refletir ou mesmo recordar. Não conhecia o livro ou mesmo o autor, mas saber que se sentiu completamente a]satisfeita me anima a querer a obra na minha cabeceira. Quero ler.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Uma amostra muito boa, que me deixou com gostinho de quero mais.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  9. Não conhecia o Raul de Taunay, mas adorei conhecer "Poemas ao Desabrigo" porque também sou um leitor que adora poesias.
    Pelo que percebi são poemas de muita expressividade, daqueles que tocam o leitor. A capa é linda e passa uma tranquilidade.
    Adorei a dica!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Olá Bia,
    Eu já conhecia esse livro, pois minha amiga fez a leitura e gostou muito dele. Eu não curto poemas e não me sinto tocada quando os leio, mas não tenho dúvidas que é uma obra que envolve o leitor e que agrada também.
    Adorei sua resenha, mas vou passar a dica por enquanto.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  11. Que edição lindaa! Amei os poemas que você selecionou, parece ser uma leitura maravilhosa, tocante e envolvente. A sua resenha ficou linda, irei anotar a sua dica, bjss!

    ResponderExcluir
  12. hahahaha preciso nem dizer que sou amante de poesia, né?!?! De alguma forma, lembrei de Carlos Drumond de Andrade, um dos poetas que mais amo, espero livro ter a oportunidade de saborear as palavras de Poema ao desabrigo.

    ResponderExcluir
  13. Olha,eu queria muito ter esse tipo de relação com a poesia que você tem, mas ela não me toca. Inclusive as partes que você colocou aqui não me fizeram ter vontade de ler. Mas fico feliz que tenha ficado tão satisfeita com a leitura! A capa é linda mesmo!

    ResponderExcluir
  14. Bia, como vai? Eu não tenho o costume de ler poesias, apesar de achá-las muito lindas e sei que tocam o nosso coração mas, é um gênero que não chama tanto a minha atenção como os outros. Esse texto que você apresentou é muito lindo e eu fiquei encantada com a escrita, vou procurar a obra do autor para conhecer.

    Beijos e Abraços Vivi
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir