20 de abril de 2016

[Resenha] Esperando por Doggo

Título: Esperando por Doggo
Autor: Mark B. Mills
Editora: Novo Conceito
Páginas: 244
Ano: 2015
Skoob: Adicione



Daniel foi abandonado pela namorada, Clara foi embora deixando apenas uma carta como explicação e um cachorrinho, o Doggo. Ela pede que Daniel o deixe no abrigo onde ela o adotou, mas ao saber que queriam castrá-lo, Daniel não tem coragem e fica com ele. Uma bonita história sobre Doggo e o seu dono. Leia a resenha.
"Não me odeie, Daniel. É claro que você vai se sentir humilhado, mas poderia ser pior. Não é como se eu o tivesse largado esperando no altar".
Daniel e Clara tinham um relacionamento sólido há quatro anos. Aparentemente estava tudo bem, porém, um dia qualquer, Daniel acorda e percebe que as coisas de Clara não estão mais no lugar e que tem uma carta para ele.

Clara falou umas coisas bem chatas e Daniel sente-se mesmo humilhado, mas segue com a vida, fazer o quê? Além disso, tem o Doggo. Um cachorrinho feio (todos fazem questão de dizer isso), bem esquisito e que não se dá muito bem com o Daniel. Na carta, Clara pede para que ele deixe Doggo no abrigo onde ela o adotou. Só que ao chegar, a dona do abrigo diz que é norma da casa castrar os cães. Mesmo não se dando muito bem com Doggo, Daniel não acha justo e leva o pequeno de volta.
Daniel é um publicitário que não estava em uma boa fase, mas alguns dias após o abandono de Clara ela consegue um emprego. Doggo passou a tolerar o seu dono, nos passeios ele até olhava para o humano como se ele fosse fugir também e ficava vigiando para ver Daniel não faria nenhuma besteira. Quando conseguiu o emprego, Daniel pediu que aceitassem o cãozinho pois não podia deixá-lo sozinho. O patrão aceitou e essa decisão não agradou à todos.

No trabalho, Daniel vai precisar ficar ao lado de Edith e vão dividir uma sala. Apesar de Doggo não ser aquele cachorrinho fofo, ele encanta facilmente com sua simpatia. Assim como o pequeno conquistou o coração de seu dono, vai conquistando o seu lugar na empresa, chega até a ser o "Cãozinho das cartas"  (a recepcionista o ensina a levar as cartas quando ela diz o nome da pessoa).
Conforme o tempo passa, Daniel vai superando a perda e abrindo espaço para amar novamente. Ele e Doggo vão construindo uma amizade sincera. Doggo é um cachorro que compensa a sua feiura com carisma, além de ser muito esperto.
Minha impressão
Eu sou apaixonada por animais (exceto borboletas, tenho pavor delas) mas tenho muito medo de ler ou ver filmes que sobre eles, não consigo suportar as mortes. Essas tramas me fazem lembrar da minha gatinha que morreu de uma maneira bem dolorosa e sempre evito algo do tipo. Mas quando vi algumas resenhas sobre esse livro, eu fiquei curiosa e resolvi dar uma chance, não me arrependi.

A trama conta com seus momentos tensos e tristes sim, mas não é aquele livro triste sobre cachorro, muito pelo contrário! Doggo é sinônimo de alegria. O bichinho não faz ideia de como é feio e se sente o cachorro mais lindo do mundo, anda todo pomposo e adora receber um carinho (o Daniel levou tempo para ter o privilégio de acariciá-lo). Eu gostei muito do Doggo, muito mesmo. 

Uma leitura leve e divertida em muitos momentos. Os capítulos são bem curtos, a narrativa é ágil e a leitura flui bem. O finalzinho da trama ainda traz um momento de tensão e Dan terá que colocar a cabeça no lugar para saber o que fazer. 

Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário