[Resenha] 1793

5 de maio de 2020

Título: 1793
Autor: Niklas och Dag
Editora: Intrínseca
Páginas: 432
Ano: 2020
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora
Sinopse: Em seu romance de estreia, o sueco Niklas Natt och Dag cria um retrato vívido da sombria Estocolmo do final do século XVIII. Estamos no outono de 1793. Logo pela manhã, ainda de ressaca, o sentinela Mickel Cardell é alertado sobre um corpo que foi encontrado flutuando nas águas fétidas do lago da Ucharia. Os esforços para identificar o cadáver totalmente mutilado são confiados ao incorruptível advogado Cecil Winge, que pede a ajuda de Cardell para resolver o caso. O tempo, no entanto, é curto: a saúde de Winge é frágil, a situação política do país, instável e, pelas esquinas, proliferam paranoia, violência e conspirações.
Winge e Cardell mergulham nas sarjetas de um mundo brutal de ladrões, mercenários e aristocratas corrompidos. De um filho de fazendeiro percorrendo um caminho traiçoeiro ao procurar fortuna na capital a uma jovem órfã enviada para uma casa de correção por um pároco impiedoso, a
complexa investigação passará pelas muitas camadas de uma sociedade corrupta. Ricos e pobres, bons e maus, vivos e mortos: o cadáver retirado do lago pode comprometer e fundir todos esses mundos.
Ousado e brilhante, 1793 é um noir histórico eletrizante que, a cada página, torna-se ainda mais perturbador.
Resenha
O ano é 1793, A Suécia vive um período sombrio. Um ano se passou desde a morte do rei Gustav III da Suécia e a política enfrenta um período de instabilidade, gerando caos na população. Na França, a Revolução Francesa segue a todo vapor, inúmeras decapitações são ordenadas, as guilhotinas não cessam. A Revolução reflete em toda a Europa e Estocolmo está sob o comando do tutor do príncipe, o barão Gustaf Adolf Reuterholm, que comanda a nação com punho de ferro.

Mickel Cardell é um sentinela atormentado pelos fantasmas do passado, ferido gravemente durante a guerra, carrega consigo as marcas daqueles dias. Ele perdeu a mão e procura na bebida e nas brigas de bar o alívio para as lembranças que não o deixam em paz. Cardell é acordado às pressas por duas crianças, é o único sentinela na área e naquele momento e elas correram para pedir ajuda. Há um corpo boiando na Ucharia.
“─ Quer dizer que esse homem teve os braços e pernas amputados em sequência. Cada ferida foi tratada, e então esperaram que cicatrizasse antes de removerem o membro seguinte. Os olhos foram arrancados propositalmente. Não sobrou nenhum dente. Nem a língua, aliás.”
A visão daquele corpo é algo impactante e perturbador. Um homem subjugado à tortura extrema. A morte deve ter sido um alívio depois de tudo o que ele sofreu. Ele foi reduzido ao tronco e a uma cabeça grotesca, teve seus membros superiores e inferiores amputados e tratados para que não morresse. Seus olhos foram arrancados, a língua foi cortada, os dentes, removidos. A audição foi prejudicada. Quem foi capaz de tamanha atrocidade. O que teria motivado tanto ódio? Por que este homem? O que ele fez?

O advogado Cecil Winge é conhecido por dar voz a todos, ele defende os direitos dos presos por uma sentença justa e é um dos advogados mais renomados em Estocolmo. Mas Winge está com a saúde debilitada, além de ter perdido a esposa, ele luta diariamente para não sucumbir à doença que lhe desgasta cada vez mais. Ao ficar sabendo sobre o cadáver da Ucharia ele se une a Cardell para investigar e o que os dois vão descobrir está além do que qualquer um poderia imaginar.
Durante as investigações, Cardell e Winge descobrem coisas das quais jamais esquecerão. Seres humanos capazes de violar outros seres humanos com ferocidade e cometerem as mais terríveis atrocidades com outras pessoas apenas para satisfazerem seus desejos obscuros. Eles precisam descobrir a identidade do cadáver que está tão desfigurado que é impossível reconhecê-lo. A investigação segue a passos lentos, mas precisos, e aos poucos eles vão ligando os pontos que podem levá-los a desvendar os mistérios desse caso.

A verdade por trás do cadáver da Ucharia é ainda mais terrível que a própria visão do corpo. O que aconteceu a ele foi desumano. Após ter sido amputado, ele foi entregue a um local onde era tratado como um objeto qualquer, com uma única diferença, ele dava lucros para o estabelecimento, pois seus clientes abusavam dele de todas as maneiras que imaginavam. O corpo ainda vivo não falava, não ouvia, não podia nem mesmo se mexer direito, não tinha sequer o direito de pôr um fim à sua vida por vontade própria. Uma sopa era empurrada pela sua garganta para mantê-lo vivo. Os cuidados de higiene eram precários. Por vezes, ele comia as próprias fezes e era visto como louco. Mas Cardell e Winge descobrem que esse ato era a única coisa que ainda o mantinha são, o único meio que ele encontrou para que alguém pudesse identificá-lo após a sua morte. Ali, em meio às fezes que ele comia, estava algo que poderia dar descanso à sua alma depois de tanto sofrimento.
Minha impressão
Que livro, minha gente, que livro! Uma trama tão impactante que nos causa repulsa e ao mesmo tempo nos intriga. Logo nas primeiras páginas eu já senti que seria uma leitura forte, mas genial. O que Niklas Natt och Dag escreveu é algo único, que faz o leitor se dividir entre parar a leitura para respirar ou continuar lendo para descobrir o que vai acontecer. 

1793 possui um enredo com muito suspense, tendo como pano de fundo alguns fatos históricos como a Revolução Francesa e a crise política em Estocolmo após o assassinato do rei Gustav III da Suécia, quando o tutor do príncipe assumiu o reinado e comandou a nação com punho de ferro. O livro se passa em um cenário caótico e a trama que temos é completamente instigante. Um corpo foi encontrado boiando. Um corpo sem braços, pernas, com os olhos arrancados, sem dentes e sem língua. Uma visão traumatizante.

O sentinela Mickel Cardell convive com os próprios traumas da guerra, se entrega à bebida e às brigas para tentar esquecer o próprio passado. O advogado Cecil Winge está muito doente e não sabe como serão seus próximos dias, sua única certeza é que ele precisar ajudar Cardell a encontrar o responsável por tamanha barbaridade. Os dois se envolvem em uma investigação onde descobrem que o ser humano é capaz de atos sórdidos apenas para satisfazer seus desejos ocultos. A mutilação aconteceu gradativamente, após cada amputação o homem foi devidamente tratado para resistir e não morrer. Levava algum tempo até que chegasse o momento da próxima amputação. Conforme se aprofundam na investigação, Cardell e Winge descobrem que a morte foi um alívio para o pobre homem. Ele deveria ansiar pelo momento em que, finalmente, não seria mais torturado, sodomizado. O homem não podia falar e também –supostamente – não podia ouvir, era obrigado a se alimentar porque enfiavam uma sopa pela sua garganta e ele nem mesmo tinha como recusar. Ele sofreu muito antes de morrer.

O livro nos conta a história de outros personagens que são importantes para que cheguemos à conclusão do que aconteceu a esse homem. São histórias fortes também e que no final se entrelaçam. Vemos um lugar que aparentemente era visto como correção para moças que vendiam o seu corpo em troca de dinheiro, mas a verdade era terrível. Elas eram obrigadas a fiar sem parar, a comida era cortada e se não conseguissem fiar uma meta diária não conseguiam fazer trocas com os guardas e se alimentarem melhor. Mas a pior parte eram os abusos que sofriam nas mãos deles. Eram torturadas, açoitadas, obrigadas a entreter os homens e eram estupradas.

Eu queria continuar falando do livro, mas essa resenha já está enorme. É uma obra impossível de largar, a curiosidade para saber o que vai acontecer é o que nos move. É uma leitura muito difícil em alguns momentos, mas que vale a pena ler. Recomendo demais!

Minha nota para o livro

4 comentários:

  1. Fiquei sem ar só de ler a sua resenha! Eu já estava desejando esse livro antes, mas agora sinto que preciso ainda mais dele e que tem grandes chances de ficar entre meus favoritos. Adoro estudar sobre a Revolução Francesa, então saber que esse é um dos panos de fundo da história também fez com que a minha curiosidade aumentasse.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda, mas confesso que só pela descrição do enredo, eu já não leria. Deu para ver que é um livro realmente muito forte e perturbador, e confesso que ando fugindo de leituras assim. Porém, para quem tem estômago forte, parece ser uma leitura muito instigante e envolvente.
    Adorei ler sua resenha e ver o quanto você gostou da leitura. Vou passar a dica dessa vez, mas amei conhecer sua opinião.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu estou MUITO curiosa para esse livro, tanto que já o coloquei no meu carinho na amazon! Mesmo sendo de um gênero a qual eu não tenha muito o costume de ler, eu estou bastante curiosa com o enredo dele e com o que ele pretende revelar, mas não sei se, mesmo ansiosa, faria essa leitura agora. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir