[Resenha] A Última Palavra

23 de março de 2020

Título: A Última Palavra
Autor: Tamara Ireland Stone
Editora: Rocco
Páginas: 352
Ano: 2020
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora
Sinopse: Samantha McAllister esconde de todos o que se passa em sua cabeça. Sam sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo caracterizado por pensamentos intrusivos. Seus pensamentos não param um segundo do dia, cada passo e palavra suas são controladas, e esconder isso tudo faz com que viver seja um grande esforço.
Tudo piora quando suas amizades começam a se tornar tóxicas e ela é julgada por conta de pequenos erros com suas roupas, comida ou o garoto por quem ela se interessa. Mesmo assim, Sam sabe que ela estaria verdadeiramente louca se deixasse de ser amiga das garotas mais populares da escola.
Por causa disso, Sam é constantemente aconselhada por sua terapeuta a conhecer novas pessoas e fazer novos amigos, pessoas que não lhe provoquem crises de ansiedade e pânico constantes.
Em um primeiro dia de aula assustador, Sam conhece Caroline, uma menina que vai levá-la para uma sala secreta em que um grupo de pessoas que são ignoradas pelo resto da escola se reúne. Ela rapidamente se identifica com eles, especialmente com um talentoso garoto que toca violão, e começa a descobrir uma nova versão de si mesma. Aos poucos ela passa a se sentir mais normal do que nunca, coisa que jamais tinha se sentido antes... até ela encontrar um novo motivo para questionar sua sanidade e tudo o que ama.
Resenha
Samantha McAllister não se sente confortável em revelar às pessoas quem ela realmente é, então se esconde, por mais difícil que seja. Sam não conta que sofre de TOC caracterizado por pensamentos intrusivos, são pensamentos muito ruins que a consomem e ela não consegue parar, não dá, é algo muito mais forte do que ela e é extremamente difícil ter que lidar com isso e ainda esconder das pessoas.  Sam é uma garota bem popular na escola, seu grupo de amigas é conhecido como As Oito Doidas e todas as garotas querem ser como elas, todos os garotos querem estar com elas, o problema é que esse é as amigas são tóxicas.

Durante o verão, quando não tem que enfrentar todos os dilemas da escola e a da aprovação das amigas, Sam é uma pessoa bem diferente, ela faz natação e no geral as coisas são mais tranquilas, só que quando o ano letivo começa ele traz toda a tensão e o colégio é um lugar onde Sam se sente pressionada, ansiosa, seus pensamentos a afligem ainda mais e fica cada vez mais complicado de esconder o TOC. Sua terapeuta vem a aconselhando a procurar um novo círculo de amigas, as que ela tem estão fazendo mal, mas Sam não quer deixar de ser popular e sabe que se abandonar as amigas elas vão tornar a sua vida um inferno.
E chega o tão temido primeiro dia de aula, Samantha está muito nervosa e assustada, seus pensamentos só pioram a situação. Mas algo completamente diferente acontece e muda toda a sua rotina dali em diante. Sam conhece Caroline, uma jovem que não liga para o que os outros pensam dela, muito divertida e que deixa Sam completamente à vontade, a nova amiga apresenta um lugar a Sam, um lugar totalmente secreto que pode (e vai) mudar para melhor a vida de Sam.

Caroline leva Sam até uma sala onde um grupo de alunos ignorados pelo restante da escola se reúne, eles se encontram ali alguns dias da semana e escrevem poesias. A sala tem papéis colados pelas paredes, são pequenos textos, pensamentos, poesias, sentimentos traduzidos em palavras que foram colados nas paredes pelos membros do grupo. Mas nem todos recebem bem a Samantha, ela já foi uma pessoa muito cruel, já fez coisas terríveis com AJ e ele não consegue acreditar nessa mudança dela.
Com a ajuda de Caroline, Sam é aceita pelo grupo, mas terá que mostrar que merece participar dele. Assim, sem perceber, ela começa uma enorme transformação, pouco a pouco a Sam vai deixando para trás hábitos que a faziam mal e vai se sentindo melhor, escrever a ajuda, os poetas (como ela chama seu novo círculo de amigos) a ajudam e principalmente a Caroline a ajuda. As Oito Doidas não gostam de serem deixadas em segundo plano e tentam manipular a Samantha como sempre fizeram, só que dessa vez não é como antes e Sam consegue ver a situação por novas perspectivas.

E quando tudo parece estar indo bem, Sam descobre algo que vai deixá-la completamente abalada, assustada como nunca esteve e vai fazê-la questionar se realmente pode confiar em si mesma, na sua sanidade. Todo o progresso que fez nas últimas semanas some, desaparece em questão de segundos. A sua saúde mental fica mais frágil do que antes e ela vai precisar da terapeuta mais do que nunca. Sam terá que lidar com a revelação mesmo achando que não consegue, vai ter de confiar em si mesma e se reconhecer.
Minha impressão
A Última Palavra é uma obra intensa que fala sobre a saúde mental de uma maneira brilhante, a autora adiciona à trama elementos que deixam a história ainda mais envolvente, mas o foco mesmo é o TOC enfrentado pela Samanta e como ela lida com ele.  Durante a leitura, fui capaz de me imaginar ao lado da protagonista, sofrendo com ela, sentindo suas dores, querendo descobrir uma maneira para fazê-la se sentir melhor, tentando ajudar de algum modo.  Sam é tão real!

Ela esconde o TOC de todos e fica cada vez mais difícil manter seu segredo, ela não se sente confortável para falar sobre isso com ninguém que não seja sua terapeuta ou sua família, no entanto, quando ela conhece Caroline as coisas começam a mudar. A nova amiga a leva para uma sala secreta onde outros alunos que têm seus próprios problemas se reúnem para escrever poesia. E esse grupo que ela chama de “os poetas” vai ser importante para todas as mudanças que Sam vai passar. Ela não revela sobre o TOC, mas com eles a Sam consegue se sentir normal, nunca tinha se sentido assim e passa a avaliar outros pontos de sua vida e começa a perceber que as suas amigas (As Oito Doidas) são tóxicas e manipuladoras, que só fazem mal para ela.

Quando Caroline apareceu eu entendi o significado dela nessa história e achei genial a maneira como a autora a desenvolveu e a mensagem que ela passou com essa personagem. Na minha adolescência, eu assisti a um filme (não vou dizer o nome para não dar spoiler do livro) que foi muito importante para mim e me ajudou a passar por um momento difícil, talvez por isso eu tenha percebido o mistério que envolve Caroline, por ter visto algo parecido no filme e ter vivenciado uma situação parecida com alguém muito próximo a mim. E quanto mais eu avançava na leitura mais eu entendia o trabalho de Caroline na vida da Sam, é algo que a autora explorou com maestria e soube conduzir o mistério por todo o livro.


A Última Palavra não é apenas um livro, é muito mais que isso. É uma obra que pode ajudar muita gente, principalmente os jovens que não entendem o que estão passando, que não sabem o que fazer, que não sabem a quem recorrer.

Minha nota para o livro

5 comentários:

  1. Eu gosto bastante de livros que falem sobre transtornos, desde que bem pesquisados e esse livro parece fantástico!
    Eu só conheço um outro livro que fale sobre TOC e gostei muito da sua resenha, me deu uma baita vontade de ler, principalmente por sanber que é um livro que ajuda a gente, amei!
    Adorei a resenha e suas fotos!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem por aí?

    Que capa linda! Adoro capas assim: simples e bonitas. Eu acho que, nos tempos em que estamos vivendo, quanto mais a saúde mental tiver sua importância destacada, melhor. Infelizmente, muitas pessoas ainda dão as costas para esses problemas, que só quem passa sabe. Adorei a sua resenha e adorei a indicação, acredito que irei ler, sem dúvidas. Já vou colocar em minha wishlist. Adorei o seu blog e já o segui.

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu fiquei super interessada na obra por conversar com o público que faço parte e porque tenho me interessado bastante no assunto sobre TOC. Não conhecia a obra, porém vejo que posso ter grandes expectativas. Adorei a sua resenha e saber um pouco mais sobre! Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que interessante! Gosto de livros que exploram transtornos psicológicos. Li poucos sobre TOC e não conhecia esse <3 Dica mais que anotada

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Eu sofro de TDAH e sei muito bem o que são pensamentos intrusivos que sugam qualquer chance de concentração e ainda bagunçam a convivência social com um medo doloroso de fazer coisas "esquisitas" e as pessoas nos julgarem loucos.
    Já amei o livro só por falar também de problemáticas mentais com tamanha delicadeza.

    Beijos

    ResponderExcluir