6 de junho de 2015

Entrevista com Adriana Bizuti

Adriana Bizuti é autora do livro Essencialmente Clara! (resenha aqui). Formada em letras hoje ela é professora de português, Adriana sempre foi uma leitura voraz e desde que aprendeu a ler, lia de 4 a 5 livros por semana, seu amor pela leitura é tão grande que sua profissão tinha que estar ligada à isso. Porém sentia falta de algo, foi quando percebeu o que era e decidiu escrever seu próprio livro. Vamos conferir a entrevista e conhecer melhor a autora!



Adriana antes de começarmos a entrevista quero dizer que amei seu livro e espero que logo logo você escreva muitos outros, também quero agradecer por ter concedido essa entrevista.



 1. Como surgiu a ideia de escrever Essencialmente Clara! e quanto tempo levou para que o livro ficasse pronto? 
A ideia surgiu de uma maneira um pouco estranha. Houve um momento em minha vida que pensei estar grávida (eu já tenho um filho, o Pedro, de quase 11 anos). Sempre achei que, se eu tivesse uma menina, ela se chamaria Clara. De repente, percebi que era alarme falso, mas aquilo não me saiu da cabeça porque, uma vez, uma amiga meio exotérica me disse que eu poderia ter a Clara se eu quisesse, era só deixá-la nascer. Foi pensando nisso que tive um insight, a Clara existiria de fato, não como uma criança, mas como uma personagem. Assim, resolvi estruturá-la como personagem e criar um contexto para ela. Surgiu a ideia da menina-bruxa. Acho que para ficar definitivamente pronto demorou uns dois anos.

2- Adriana, quando lemos Essencialmente Clara!,  podemos perceber a profundidade do assunto, sua escrita nos leva ao conhecimento gradual junto com André e Clara. Conte para nós como foi o processo de pesquisas que você fez para chegar no projeto final de sua obra.
Ao decidir que a Clara seria uma bruxinha, comecei a pesquisar imediatamente, pois eu sabia bem pouco do assunto. A princípio, achei até que ela seria uma bruxa wicca, da qual já ouvira falar, mas descobri que as wiccas são recentes, não dava para encaixar a história da Anita, então fui aprofundando aos poucos a pesquisa até encontrar os druidas e o fantástico e lendário povo celta. Me encantei de cara com essas histórias  que vêm da mitologia deste povo. Aliás tirei o nome  Danna de uma destas lendas. Pesquisei muitos sites, blogs e livros teóricos que pudessem me proporcionar conteúdo suficiente para desenvolver todo o enredo, mas também li ficção como o Brumas de Avalon, que me ajudou muito e acabei lendo quase tudo do Paulo Coelho (para entender a questão da magia, foi muito útil). O processo de pesquisa foi traçado em busca de elementos que se aproximassem ao máximo da realidade, mesmo que muito disso seja só superstições, mitos, crenças. Foi um longo tempo, de muita leitura e pouca escrita.   Acho que consegui passar para o André esse aprendizado gradual. Na verdade, não sei quem aprendeu com quem, se ele aprendeu junto comigo ou se fui eu que aprendi junto com ele (rsrsrs). Acho que o efeito deu certo, pois o mesmo se dá com o leitor, que também vai aprendendo junto,  não é? (rsrsrs)

3- Você acha que o fato de lecionar para jovens e adolescentes influenciou na temática do livro? Estar rodeada por jovens a levou a criar os personagens com essa idade? Ou você já tinha essa ideia e lecionar apenas ajudou com a construção dela? 
O fato de eu lecionar tem tudo a ver com a temática e a  idade dos personagens, porque eu quis escrever para meus alunos. Eu vejo muitos adolescentes apaixonados por livros. Eles leem livros de 400, 500 páginas quando  gostam do assunto. Foi pensando nisso que construí a Clara como uma bruxa de 13, 14 anos. Enfim, eu não havia pensado em escrever sobre isso antes, eles foram meu público-alvo com toda certeza.

4-Como foi a reação de seus alunos e colegas de trabalho ao verem Essencialmente Clara! pronto e fazendo esse sucesso?
Posso afirmar que todos estão muito felizes e torcendo por mim. Os alunos ficaram sabendo antes dos meus amigos. Não foi proposital, mas eu comecei a fazer comentários que tinham a ver com algum assunto da aula, pois eu ensino literatura, tudo a ver, não é? De repente, eu me pegava explicando sobre crenças de povos antigos e vivências com magia, estas coisas que causam certo estranhamento. Precisei justificar a eles porque eu estava pesquisando o assunto e contei sobre o livro. Eles ficaram empolgadíssimos e, na verdade, só levei este projeto até o fim porque todo dia algum deles me perguntava sobre o livro.  A reação foi a melhor possível. Muitos deles me ajudaram, inclusive com o up grade da capa (rsrsrs) e com a divulgação. Muitos amigos compraram e estão lendo. Enfim, preciso agradecer a todos eles. Estão sendo muito receptivos com esta minha nova fase profissional.

5-Falando sobre você agora, qual o gênero literário que você prefere?
Prefiro as narrativas de ficção. As histórias inventadas me atraem mais do que, por exemplo, a biografia de alguém. Raramente eu leio biografia. Sou apaixonada pelas obras de Machado de Assis e Clarice Lispector, amo os poemas de Fernando Pessoa e gosto muito de alguns clássicos da literatura mundial como Hermann Hesse, Dostoiévski, Pirandello, Jane Austen, nossa, são tantos!

6- Você tem alguma mania de escritora? E como leitora?
A mania de escritora que eu tenho é de reler inúmeras vezes o que  escrevo e ficar reescrevendo, mudando tudo o tempo todo (estou fazendo isso agora rs), mas acho que isso é normal na profissão. Como leitora, tenho uma mania sim. Os livros de leitura mais fácil, tipo Best seller,  geralmente,  eu percebo uma grande quantidade de coisas escritas que não servem para nada no desenvolver da história, então eu pulo um monte até chegar ao que interessa. Confesso isso sem culpa nenhuma, mas não aconselho ninguém a fazer o mesmo. Como leitora compulsiva desde os 7 anos, eu adquiri uma certa experiência ao longo dos meus 40 anos de vida, que me permitem fazer isso. Um leitor mais inexperiente talvez não entendesse a história depois. Não sei. Opinião minha. Posso estar errada (rsrsrs).

7- A literatura nacional está crescendo bastante e os fãs de livros estão correspondendo aos novos talentos que surgem com excelentes obras, você é a prova. Qual a sua opinião sobre o assunto?
Temos gente muito nova e muito talentosa escrevendo. Acho isso o máximo. Inclusive tenho alunos a quem já aconselhei para continuar escrevendo que tem futuro  Não sou contra a absorção da cultura de fora, porque ajuda a ampliar conhecimentos de uma maneira geral, mas é necessário somar a isso a aquisição dos nossos autores, como vem acontecendo. Percebo que o mercado tem espaço para todo mundo, pois a moçada tem consumido muito livro. E é preciso ressaltar ainda  o papel importante que vocês blogueiras estão desempenhando, ajudando a divulgar estes novos autores. Sem isso, seria difícil sair do anonimato.  Gostaria de comentar também sobre as novas formas de publicação. Com elas, está acontecendo uma democratização da produção literária, considerando as plataformas de auto-publicação, editoras oferecendo parcerias, até mesmo as redes sociais literárias, tudo isso está contribuindo para uma transformação muito positiva na  história da literatura nacional. Espero que continue assim. Sinto que muita coisa vai mudar no Brasil nos próximos anos em relação ao mercado editorial. Só abro um parêntese aqui, se eu pudesse aconselhar estes novos talentos, eu acho que o brasileiro ainda copia muito o que vem de fora. Assim como aconteceu na Semana de Arte Moderna, acho que nós precisamos criar uma literatura com um pouco mais da nossa cara.

8- Para finalizar, deixe um recadinho para os leitores do blog De Bem Com a Leitura e para seus fãs.
Primeiro, gostaria de agradecer pelos comentários sobre a resenha do livro Essencialmente Clara!. Gostaria também de agradecer pelo número de visualizações no site de vendas e a todos que estão lendo e gostando do livro. Finalmente, eu quero dizer que me sinto muito feliz por saber que existe tanta gente interessada em livros, (eu me achava meio ET até descobrir quanta gente lê - rsrsrs),  gente que visita os blogs, tem interesse em conhecer mais do mundo literário. Vocês estão no caminho certo porque a leitura enriquece nosso vocabulário, nosso conhecimento de mundo, nos torna pessoas mais interessantes e profundas,  em oposição ao vasto mar de superficialidade que é o mundo de hoje. A leitura é um vício saudável. Parabéns a todos que escolheram este caminho e obrigada pela força que cada um está me dando nesta nova fase da minha vida. E não poderia deixar de agradecê-la também pela oportunidade que está me dando de me apresentar para as pessoas que ainda não me conhecem. Beijo enorme a todos.

Adriana novamente te agradeço, adorei te conhecer um pouco mais, saber sobre como Clara surgiu, suas manias como escritora e como leitora, suas preferências literárias, tudo, eu poderia falar muita coisa ainda, mas essa entrevista ia ficar ainda maior, paro por aqui agradecendo não apenas pela entrevista mas por ter me dado a oportunidade de conhecer Essencialmente Clara! nesse comecinho e esteja certa que vou acompanhar esse crescimento e conte comigo sempre que precisar, terei o maior prazer em lhe ajudar, por enquanto fico aqui sonhando com novas histórias, quem sabe uma série?!

Aos leitores do blog De Bem Com a Leitura, agradeço por estarem sempre presentes e por terem acompanhado essa entrevista, espero que tenham gostado, vocês podem encontrar os links da Adriana clicando aqui 

Nenhum comentário:

Postar um comentário