[Resenha- livro] Por Lugares Incríveis

7 de abril de 2020

Título: Por Lugares Incríveis
Autor: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Páginas: 336
Ano: 2020 (Edição com a capa do filme)
Adicione ao Skoob
*Cortesia da editora
Sinopse: Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, a garota se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e chamado de “aberração” por onde passa. Para piorar, é obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular.
Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: conhecer lugares incríveis do estado onde moram. Ao lado de Finch, Violet para de contar os dias e finalmente passa a vivê-los. O garoto, por sua vez, encontra alguém com quem pode ser ele mesmo, e torce para que consiga se manter desperto.
“Me apaixonei por Violet e Finch antes mesmo de se apaixonarem um pelo outro. A jornada deles é adorável e inteligente e corajosa. Vai partir seu coração e relembrar o que significa estar vivo.” ― Jennifer E. Smith, autora de A probabilidade estatística do amor à primeira vista
Resenha
Violet Markey era muito feliz, tinha a vida perfeita, ela gostava de escrever e mantinha um site bem popular com a irmã. Mas toda a sua vida muda drasticamente quando as duas sofrem um acidente de carro e somente Violet sobrevive. A jovem não entende por que conseguiu sobreviver e a irmã não, ela se sente culpada, não aceita o que aconteceu. Ninguém mais entende o que ela passa, o que ela sente, para todos, já era para Violet ter superado o luto, ter voltado ao normal, socializar, rir, se distrair. Mas a dor nunca vai embora. Nunca.

E então fica tudo insuportável, Violet não aguenta mais. A ideia de continuar seus dias quando a irmã não teve a oportunidade de fazer o mesmo é esmagadora e Violet vai parar no alto da torre da escola, ela quer dar um fim a isso tudo. Simplesmente não pode continuar vivendo. Mas algo a interrompe no exato momento em que ela cometeria um suicídio. Mais precisamente, alguém a interrompe. Finch, o menino que todos chamam de aberração. Finch, o garoto violento. Finch, que a entende melhor do que ninguém, pois ele mesmo foi lá para pular também.
“Inútil. Burro. Essas foram as palavras que cresci ouvindo São palavras das quais tento fugir, porque se deixá-las entrar, elas podem ficar e crescer e me preencher até que a única coisa restante dentro de mim seja inútil burro inútil burro aberração.”
Teodore Finch cresceu em um ambiente familiar em ruínas, o pai sempre com as suas “fases” nas quais ficava extremamente agressivo e batia violentamente no filho, qualquer coisa era motivo para surras e gritos. O pai já havia abandonado a família antes, mas agora está vivendo em outra casa, com outra esposa e com outro filho, mesmo assim, continua tendo fases e atingindo os filhos mesmo a distância. Em casa, a mãe e as irmãs até tentam levar uma vida normal, elas até percebem que Finch não está bem, mas continuam agindo como se fosse algo passageiro.

Finch precisa de ajuda médica e ninguém consegue enxergar isso. Ele pesquisa inúmeras maneiras de se matar, já tentou algumas, mas nunca conseguiu chegar ao fim e continua tentando. Ele não sabe exatamente o que tem, nunca procurou um médico, mas sabe que as pessoas com rótulos são as mais julgadas, não quer ser rotulado, já sofre o suficiente.  Transtorno de bipolaridade, TOC, depressão, são apenas palavras, ele não quer que elas ditem o que ele deve ou não fazer. Ele sofre calado, não demonstra, não deixa ninguém passar pelas suas barreiras. Na escola, ele é chamado de aberração, as pessoas comentam sobre ele o tempo todo, querem distância. Finch decide pular do alto da torre da escola e ao chegar vê Violet pronta para pular também, de repente, algo dentro dele acende. Ela quer ajudar Violet. Violet e Finch, tão diferentes um do outro, mas com tanto em comum.
“Sou problemático. Estou despedaçado, e ninguém pode me consertar. Eu tentei. Ainda estou tentando. Não posso amar ninguém porque não é justo com quem me amar de volta.”
Há um trabalho de geografia que consiste em visitar lugares incríveis no estado em que eles moram, então Finch tem a ideia de fazer com Violet, no começo ela está relutante, mas acaba cedendo. Com uma condição, eles só podem ir de bicicleta porque ela não entra mais em carros. A partir daí, os dois passam longos momentos juntos, um aprendendo com o outro, um ajudando o outro. Finch ajuda Violet a superar, não esquecer, mas continuar a vida após a morte da irmã. E Violet ajuda Finch a ficar desperto, mas ela também não percebe que ele está cada vez pior.

Finch só quer que Violet fique bem, para ele, a sua Ultravioleta é tudo o que importa. Ele a leva a diversos pontos turísticos pouco conhecidos e os dois descobrem lugares realmente incríveis, alguns nem tanto, mas o fato de estarem juntos faz tudo valer a pena. Mas à medida que Violet começa a voltar a viver, se sentir bem novamente, não se culpar por sorrir, Finch entra cada vez mais na escuridão de sua mente, ele se rende cada vez mais e chega o momento de Violet tentar resgatá-lo de si mesmo.
Minha impressão
Que livro lindo, cheio de mensagens marcantes, emocionantes, necessárias. Eu já havia assistido ao filme e chorei muito com o final, eu não esperava nada parecido, então já comecei a leitura com muitas expectativas e todas foram superadas, o livro é ainda melhor que o filme.

Finch precisa urgentemente de ajuda e ninguém consegue perceber isso, é angustiante ver o que ele está passando e sozinho, a família vê tudo acontecer e não se posiciona, a mãe ou a irmã mais velha não fazem nada, apenas deixam com que ela faça o que quiser, encaram suas atitudes como normais, afinal, ele sempre faz isso. Finch tem apagões, fica tempos fora de si, some sem dar notícias, mas elas deixam para lá, uma hora ele vai aparecer, logo vai passar e ele vai ficar bem. Theodore Finch a cada semana assume uma nova personalidade, mas ele não gosta de rótulos, já sofre demais para ter sobre si o peso dessas palavras.

Violet está enfrentando o luto, a morte da irmã acabou com a sua vida, ela se sente culpada por ter sobrevivido ao acidente e a irmã não. Quando ela ia pular da torre da escola, Finch apareceu e ajudou. O que ela não sabia era que Finch tinha ido até lá para fazer exatamente a mesma coisa, pular e acabar com a própria vida. Finch pesquisa diversos meios de cometer suicídio e até já tentou algumas vezes sem nunca conseguir ir até o fim, mas ele continua pesquisando e pesquisando. Um trabalho de geografia une os dois, eles vão precisar visitar os lugares mais incríveis de Indiana e juntos passam momentos maravilhosos.

Por Lugares Incríveis é um livro que nos emociona, ele aborda temas sérios de uma maneira bem intensa e ao mesmo tempo nos traz momentos mais leves. Enquanto o filme foca no romance entre Violet e Finch e traz a história pela perspectiva dela, o livro explora a complexidade de Finch e nos dá detalhes do que está acontecendo com ele, de como as pessoas ao seu redor não fazem nada ao vê-lo se afundar cada vez mais. Por mais que eu já soubesse o que iria acontecer no final, eu não estava preparada para ler. Quem ainda não leu o livro, apenas leia! Quem já assistiu ao filme e ainda não leu o livro, leia, não vai se arrepender.

Minha nota para o livro

7 comentários:

  1. Oi Beatriz!!

    Ainda não li o livro e nem vi o filme, mas está em minha meta de leitura desse ano ler o livro e depois verei o filme, que por acaso muito gente falou mal né? Eu infelizmente já peguei spoiler do que acontece no final, mas, ainda assim pretendo ler e ver o filme!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  2. Oi Beatriz.

    Eu estou com este livro na meta de leitura. Eu tinha adicionado ele no início do ano, mas acabei adiando a leitura. Acabei que não assisti o filme também porque desejava ler o livro antes. Vou ter que dar prioridade para ele porque adorei a sua opinião e fiquei ainda mais curiosa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Opa, tudo bem por aí?

    Eu tive interesse em ler essa obra uma época em que ela estava bastante em alta, porém, acabei esquecendo e não me interessando mais. Agora, porém, como a adaptação foi lançada e tem Elle Fanning no elenco (que eu amo), deu vontade de assisti-la, mas preciso antes ler o livro.

    Abraços! ♥
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  4. Eu tive que ler esse livro em um dia só, pois não iria aguentar dormir sem saber como iria terminar hahahaha
    Ai amiga chorei horrores com a história e só queria abraçar o Finch. Essa história tem tanto para ensinar

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  5. Eu conheço o livro, dei uma folheada em algumas páginas e desisti, então fui para o filme, também desisti, ao menos no momento, não foi algo que me agradou, quem sabe no futuro...

    ResponderExcluir
  6. Oi Beatriz, tudo bem?
    O único comentário que eu consigo nesse momento fazer é: é muita vontade de bater na família do Finch e nos FDP que incomodavam ele, né, minha filha?
    Na boa, sei que violência não resolve nada, mas fica muito difícil não querer quebrar a cara de um depois da leitura.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir