20 de junho de 2017

[Resenha] Maria Clara, A Filha do Coronel

Título: Maria Clara, A Filha do Coronel
Autor: Virgilio Pedro Rigonatti
Editora: Gente
Páginas: 192
Ano: 2016
Leia a sinopse no Skoob
*Cortesia da editora


Resenha
De um relacionamento extraconjugal nasce Maria Clara, uma jovem que pagaria pelas atitudes de seus pais. Menina sofredora, cresceu acostumada a não ter o afeto de seu pai e a ver a mãe se humilhar para não deixar que nada lhe faltasse. O livro traz uma mistura de ficção e realidade. Continue lendo e saiba mais sobre a obra.
Minas Gerais, início do século XX. A cidade de Arari era comendada por um coronel linha dura, os habitantes não tinham voz, ninguém podia contrariar a vontade do Coronel Lucas Vasco. Após a morte do pai, Lucas Vasco assume o seu posto e passa a comandar o lugar, ampliando os negócios e as aquisições da família.
"Contratou jagunços e formou seu pequeno exército. Pela astúcia, por engenho e violência foi adquirindo novas propriedades, no mais das vezes simplesmente tomando posse na base de intimidação, violência e morte."
Homem muito influente, o Coronel comandava tudo, inclusive o voto da população - que na época não era secreto. Por ser muito poderoso e por colocar medo na população, ninguém lhe negava nada, nem mesmo as mulheres. Ele tinha muitas amantes, conseguia todas as mulheres que desejasse, por bem ou por mal.
A mulher que o Coronel se interessasse era obrigada a se entregar a ele, casada ou não, muitas vezes o próprio marido facilitava as coisas - alguns por dinheiro, outros por medo. Mariinha era uma de suas amantes e o que precisasse ela pedia ao Coronel, que lhe dava em troca de favores sexuais.

Quando Mariinha engravidou, o Coronel prometeu que não deixaria que nada faltasse para a criança mas ela não receberia o seu afeto. Maria Clara nasceu e não foi registrada como filha de Lucas Vasco, o coronel lhe prestava qualquer assistência mas não fazia questão de conhecê-la pessoalmente.
Maria Clara cresceu acostumada a ver a sua mãe se humilhar para que nada lhe faltasse, o Coronel era um homem muito violento e extremamente machista, achava que o lugar de mulher era em casa, cozinhando, costurando e agradando ao seu marido. Maria Clara cresceu e não queria ser a submissa que seu pai desejava, ela queria estudar e ser independente.

Por causa do passado de sua mãe e por ser filha de um relacionamento não aceito pela Igreja Católica, Maria Clara foi vítima de preconceito. Ela era uma menina de personalidade e tinha força de vontade, mas sofreu muito por uma traição de uma pessoa que ela jamais esperaria tal atitude.
Minha impressão
Eu gosto muito de livros de ficção que trazem um contexto histórico, quando eu li a sinopse desse eu logo me interessei por ele, mas me decepcionei um pouco com a leitura. É uma obra baseada na vida da mãe do autor, mas que ganhou toques de ficção. Isso que me atraiu para a leitura, mas eu acho o livro teve muitos detalhes desnecessários, que acabaram me cansando e demorei mais do que eu gostaria para terminar de ler. 

A narração é feita em primeira pessoa por Maria Clara, ela conta como foi crescer sendo a filha não registrada do Coronel. Por vezes, a menina recebia olhares tortos e ouvia palavras maldosas, ela sofreu por algo que não fez. Todos julgavam apenas a sua mãe e enquanto o Coronel saia sem qualquer responsabilidade nessa história, a errada era sempre a mulher. 

Maria Clara não queria ser dependente de nenhum homem, ela não queria ser humilhada como a mãe foi. Maria Clara começou a fazer a sua clientela como costureira mas ela queria mais, queria ir para outra cidade e ter o seu próprio negócio. Eu achei interessante a atitude dela, sempre forte e sem se deixar abater diante do preconceito, claro, chorou e sofreu muito, mas deu a volta por cima e começou a correr atrás do que queria para realizar o seu sonho. 

O que me decepcionou foi a quantidade de cenas desnecessárias e diálogos forçados. Mas não é um livro ruim, é uma boa leitura, só que para mim ficou cansativa.

Minha nota para o livro

11 comentários:

  1. Olá adorei a resenha, não conhecia o livro achei a história intrigante, quero muito ler, vou pesquisar mais sobre ele, beijos!

    ResponderExcluir
  2. História interessante. Mas se o livro somente tem 192 páginas e houveram dialogos desnecessários/ forçados... O que sobra em si para a história? Parece ser bem pequena então...
    Uma leitura bem rápida, pelo visto.
    Legal a ambientação e a época no qual se passa a história. Fiquei um pouco curiosa, mas admito que esse seu fator negativo apresentado na leitura me deixou um pouco receosa...
    Contudo, só lendo mesmo pra saber, não é mesmo???

    Adorei a resenha e obrigado pela dica!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Beatriz
    Tinha visto esse livro por aí, mas não sabia que a história tinha sido baseada em algo real. Confesso que também não gosto de muitos detalhes quando eles não acrescentam nada na história. É uma pena que tenha acontecido isso na leitura, parece ser um bom livro.

    Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  4. Heiii, tudo bem?
    Gostei muito da premissa da história, acho que ficaria bem brava com esse tanto de preconceito, mas o pior é saber que era real e aque ainda continua.
    Adorei sua resenha de "Maria Clara, A Filha do Coronel", espero que ela no final seja mto feliz.
    Uma pena que se tornou cansativa, mas vou tentar ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  5. Oi, Beatriz!
    Adoro protagonista fortes e independentes. Que história de vida tensa!
    Mas o livro não me chamou atenção pelo. E ainda tem diálogos forçados? Logo me desanimo com isso. :/
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  6. Ler essa sinopse me fez lembrar de uma leitura triste, mas forte que fiz: A Invenção das Asas - Sue Monk Kidd. No momento estou evitando esse tipo de leitura. Beijos


    Nara Dias
    www.viagensdepapel.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você foi até o Skoob para ler a sinopse, mas você leu a resenha? o que achou, lembra mesmo esse livro que você falou? eu não conheço o livro mas Maria Clara, A Filha do Coronel não é uma leitura forte nem se torna triste, na época aconteceram coisas ruins, sim, mas o livro não as explora e fala superficialmente das crueldades que o coronel fez.

      Excluir
  7. Oi!
    Não conhecia o livro, mas parece ser interessante. Confesso que a premissa em sim não chamou muito minha atenção, porém, também gosto bastante de livros de ficção que com contexto histórico, por isso já realizaria a leitura se tivesse oportunidade. :)

    ResponderExcluir
  8. Oie Beatriz, tudo bem? Achei a premissa do livro muito instigante! Que pena os diálogos serem forçados e o livro com muita descrição desnecessária! Isso também me pesa muito na hora de avaliar. De qualquer forma, acho que faria sim a leitura :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. A temática chamou minha atenção. A protagonista é uma mulher de fibra, né? Mas como você pontou que o desenvolvimento peca em cenas desnecessárias e diálogos fracos, vou deixar passar essa dica.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Uau! É uma baita de uma história!
    Gosto de contos que misturam realidade e ficção.
    Talvez o que você não gostou muito, me agrade, porque eu gosto de minúcias.
    Mas é assim, né? Cada leitor é de um jeito.
    Quero muito ler esse livro.
    Gratidão pela dica!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir