9 de dezembro de 2015

[Resenha] O Rouxinol

Título: O Rouxinol
Autor: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Páginas: 432
Ano: 2015
Skoob: Adicione



Durante a Segunda Guerra Mundial, na França, duas irmãs precisam lutar por aquilo que acreditam. Uma decide salvar sua casa e família, acatando todas as ordens dos alemães. A outra, decide ir contra a opressão e se torna uma guerrilheira. Ambas passarão por momentos difíceis e a guerra não será fácil para ninguém. O Rouxinol possui um contexto histórico muito detalhado e uma escrita elegante, é carregado de fortes emoções e impossível de não se apaixonar.


A trama começa com um mistério que só será revelado nas últimas páginas, 50 anos após o termino da guerra, uma senhora se entrega à lembranças de uma época de muito sofrimento, a Segunda Guerra Mundial. Ela está de mudança para uma casa de repouso e não suporta mais esconder o passado, então decide revelar ao seu filho, o segredo que vem lhe corroendo há anos. A idosa vai nos contar a história de duas irmãs, ela é uma delas mas não revela qual. Vianne e Isabelle, duas irmãs completamente diferentes mas unidas pelo sangue. 

A infância das irmãs foi muito complicada, o pai que antes era carinhoso e dedicado, retornou da Primeira Guerra, um homem completamente diferente. A mãe delas era amorosa e as ajudava, mas acabou morrendo. Com a marte da esposa, o pai não soube o que fazer e deu as meninas, sofreram muito na nova casa, Vianne tentava cuidar da irmã mais nova, mas Isabelle já era uma pequena revolucionaria, não aceitava ordens de ninguém e consequentemente, era a mais castigada. Mesmo depois de já terem crescido, o pai continuou indiferente e afastado das filhas


Alguns acontecimentos levaram Isabelle a ir morar com a irmã, justamente no começo da guerra. O marido de Vianne é chamado para lutar no Fronte, ela fica triste mas não consegue enxergar que os nazistas irão invadir o país, acredita em tudo o que o governo fala e não se prepara para a guerra. Já Isabelle logo percebe que a guerra está ficando cada vez mais forte e começa a se preparar, mesmo com os protestos da irmã. 

Após alguns dias a casa de Vianne é solicitada para aquartelar um nazista e ela tem duas opções: Ou deixa a casa para o nazista e vai embora com a filha ou convive com ele e o obedece. Isabelle é totalmente contrária a ideia e pede que Vienne deixe a casa, mas ela pensa na filha e no retorno do marido, não consegue deixar a casa e decide ficar. Isabelle não suporta conviver com o inimigo e nem ficar parada enquanto a guerra está acontecendo, então decide fazer o que sempre teve vontade,  a revolução!
"No amor, nós descobrimos quem desejamos ser; na guerra, descobrimos quem somos"
O país vive em estado de calamidade, os alemães controlam tudo, alimentos, agasalhos, remédios e a população fica apavorada. Vianne (outras mulheres também) está com um nazista em casa e precisa obedecê-lo, mas o Capitão é o menor de seus problemas, o que vem depois é muito pior. Vianne é obrigada a tomar decisões terríveis para manter em segurança a família. Isabelle tem o desejo de ajudar, ela quer libertar o país dessa opressão e se une a Resistência, arrisca a própria vida para salvar outras. Ela entende quais são as consequências mas a vontade é maior que o medo e ela não desiste. Vai passar por momentos muito difíceis, sofrerá bastante e nada disso pesará em sua balança. 

Vianne e Isabelle podem ter sido separadas pela guerra, podem ter feito escolhas diferentes mas escolheram o que acreditavam ser o melhor. As duas irmãs serão pessoas importantes nessa guerra, cada uma será uma heroína na decisão que tomou e ambas pagarão um preço muito alto por isso.
Eu gosto muito de romances históricos, quando o tema é a guerra eu me interesso ainda mais, então não pensei duas vezes quando vi esse livro. Vou dizer uma coisa, quando terminei de ler eu chorava de soluçar! é um livro que possui uma história muito marcante. Vianne e Isabelle foram submetidas a situações pesarosas. No início da leitura eu não esperava que Vianne fosse ter o crescimento que teve, quanto a Isabelle, mesmo que esteja claro desde o começo que ela será uma revolucionária, ela surpreende com suas atitudes e com a importância que teve nessa guerra.

O Rouxinol é um livro que me deixou carregada de emoções, meus sentimentos se misturavam durante a leitura, mas nada se compara ao final! o momento em que a identidade da idosa é revelada é muito emocionante. O final do livro ainda traz outra grande surpresa, algo surgiu tão inesperadamente que minha reação só foi chorar, é lindo! pena que eu não possa explicar melhor. Um livro que indico muito.
Minha nota para o livro

Nenhum comentário:

Postar um comentário